Pular para o conteúdo

Saiba tudo sobre a Internet das coisas

    Saiba tudo sobre a internet das coisas

    Você já ouviu falar sobre a Internet das coisas? Ela pode parecer algo novo para você; contudo, sabia que este termo já existe há mais de 20 anos?

    E outra: você já teve contato com este modelo tecnológico em algum momento do seu dia a dia!

    Inclusive, nos últimos anos, essa tecnologia se tornou uma das mais importantes do século XXI.

    Ficou confuso?

    Acompanhe o texto que preparamos para você sobre o assunto!

    Mas afinal, o que é a internet das coisas?

    Na verdade, esta ideia vem desde o ano de 1991, com a ascensão da internet no mundo.

    A internet das coisas, em inglês Internet of Things (IoT) é uma expressão criada no 1999, por um pesquisador britânico chamado Kevin Ashton, do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Em suma, ela serve para descrever objetos físicos incorporados a sensores, softwares e outras tecnologias.

    Em outras palavras, é uma revolução tecnológica, que tem como objetivo primordial conectar itens comuns do dia a dia a internet. Cada vez mais surgem dispositivos, eletrodomésticos e até roupas que podem ser, de alguma forma, conectadas a rede mundial de computadores.

    Quer ver alguns exemplos práticos disto?

    • Na sua casa: Tvs, geladeiras e outros dispositivos inteligentes, como tranca de portas;
    • No agronegócio: drones, sensores e outros dispositivos capazes, por exemplo, de medir a temperatura e umidade do solo em tempo real;
    • No geral: objetos de uso pessoal, como fones de ouvido, relógios, etc.

    E aí, deu para entender?

    Certo, mas como isso tudo funciona? Será que não é perigoso? quais são os riscos?

    Como funciona a internet das coisas?

    A tecnologia mudou a forma de como o ser humano enxerga a vida. Isto, devemos concordar.

    Ela veio também como uma ponte, um elo, para conectar a parte física ao meio digital, e facilitar a vida do ser humano.

    Quando um objeto é conectado a internet, ele passa a agrupar diferentes funções aos seu funcionamento, por meio da inteligência artificial (IA). Assim, estes dispositivos acessam várias informações armazenadas na nuvem e assimilam esses dados, com os princípio do Aprendizado de Máquina.

    Saiba mais: Importância do Aprendizado da máquina como aplicação da Inteligência Artificial

    Desde sua criação, a internet das coisas sofreu diversas transformações e progressos. Atualmente, com a chegada do 5G, a exploração de recursos pode ficar ainda mais intensa, como veremos adiante.

    Mas, respondendo a pergunta do início do final do tópico anterior, existem algum perigo relacionado a toda essa revolução?

    Bom, algumas pesquisas mostram que sim.

    Toda essa conectividade acaba gerando alguns erros de segurança. É o que mostra uma pesquisa realizada pela HP Security Research. Segundo eles, cerca de 70% das aparelhos ligados a internet das coisas apresentam falhas graves de segurança.

    Foram analisados, no estudo, 10 tipos de aparelho e foram encontradas cerca de 250 vulnerabilidades. E os problemas são diversas: falhas na criptografia, no transporte de dados, erros no geral e problemas de privacidade.

    A empresa finalizou, dizendo que espera que, com este estudo, corporações consigam desenvolver aparelhos cada vez mais eficiente e seguros, evitando assim surpresas indesejadas.

    A tecnologia 5G vai impactar na internet das coisas?

    Você já deve ter lido ou ouvido falar sobre a tecnologia 5G.

    Trata-se da revolução atual dos celulares com conectividade de quarta geração. Ela promete uma rede mais veloz, e que causa menos impacto ao meio ambiente. Entre suas principais vantagens, destacam-se:

    • Menor consumo de energia do que as redes atuais;
    • Número de aparelhos conectados deve dobrar; isto tudo sem prejudicar a velocidade;
    • Os tempos de conexão são mais rápidos que nos dispositivos atuais.

    Entre outras vantagens.

    Mas qual a sua relação com a internet das coisas?

    Simples. Toda esta tecnologia permitirá uma maior integração entre dados disponíveis e objetos. Tudo será feito de uma forma bem mais eficaz, permitindo assim, uma maior exploração de recursos.

    A rede 5G oferece grande estabilidade; por isso, auxilia muito na atualização de notícias e outras informações em tempo real. Basicamente diversos setores da sociedade se beneficiam: a saúde, o transporte, etc.

    A internet das coisas beneficia apenas setores ligados a tecnologia?

    Como comentamos anteriormente, são diversos setores da sociedade que estão sendo beneficiados. Vamos entender as vantagens de alguns:

    Setor automotivo

    O setor automotivo é, sem dúvida, uma dos mais beneficiados com esta tecnologia. Além da aplicação da internet das coisas nas linhas de produção, sensores e outros dispositivos podem detectar falhas antes mesmo de elas acontecerem, prevenindo e preservando a vida do motorista, por exemplo.

    Além disso, o proprietário do carro pode se manter informado em tempo real, o que evita diversos problemas associados.

    Setor público

    O setor público também não fica atrás. Serviços públicos como água, energia, esgoto entre outros podem ser interrompidos sem pegar ninguém desprevenido; além de ajudar os usuários a se recuperar de interrupções com uma maior facilidade.

    Setor da saúde

    São diversos benefícios oferecidos ao setor da saúde. Principalmente em situações de emergência, onde médicos, enfermeiros e outros profissionais do setor precisam saber a localização exata do paciente. Além disso, muitos outros dispositivos hospitalares podem ser rastreados como forma de garantir a saúde e bem estar de todos.

    Segurança do trabalho

    A internet das coisas está a serviço do ser humano; dessa forma, nada mais justo que ela possuir aplicações para a segurança do trabalhador no geral. Pessoas que trabalham em ambientes considerados perigosos, como plataformas de petróleo, usinas químicas, minas e outros locais precisam saber com antecedência sobre os acontecimentos.

    Assim, uma vez conectados a dispositivos IoT, podem ser notificados e resgatados antes que qualquer coisa aconteça, de forma mais rápida possível. Aqui entra a questão das roupas inteligentes, que podem, inclusive, monitorar a saúde do usuário.

    Isto, na verdade, tem uma ponte também com o setor da saúde, já que permite que os pacientes sejam avaliados e monitorados de forma totalmente remota.

    Por fim, queremos saber: qual sua opinião sobre a internet das coisas?

    Você acha que ele pode ajudar o ser humano no dia a dia? Ou pode representar um perigo?

    (Visited 31 times, 1 visits today)