Pular para o conteúdo

Rua Vinícius de Moraes

    Rua Vinícius de Moraes

    Você já foi ao Rio de Janeiro? Então com certeza já ouviu falar da rua Vinícius de Moraes. E mesmo que você não tenha ido, em algum lugar você já deve ter lido sobre.

    Ela fica localizada em Ipanema, um dos bairros mais conhecidos do Rio de Janeiro.

    É um bairro da zona sul do Rio, que  faz fronteira com outros bairros famosos, como o Leblon e Copacabana. Mas porque estou falando sobre ele? Para falarmos, justamente, sobre a famosa rua Vinícius de Moraes.

    Conhecendo mais sobre Vinícius de Moraes

    Vinícius de Moraes foi um dos maiores compositores da música popular brasileira, além de ser um dos idealizadores e fundadores da Bossa Nova, movimento musical que surgiu na década de 50.

    Nascido em 19 de outubro de 1913, no atual bairro Jardim Botânico, faleceu em 9 de julho de 1980, no mesmo bairro. A casa que o grande poeta nasceu não existe mais; deu lugar a um edifício moderno.

    Trabalhou como representante do Ministério da Educação até 1938. Formou-se em direito no ano de 1933. Neste mesmo ano, publicou seu primeiro livro, intitulado “O Caminho Para a Distância”. Anos mais tarde, recebeu uma bolsa de estudos e seguiu para Londres, onde cursou literatura Inglesa em Oxford.

    Casou-se nove vezes e teve cinco filhos. Seu primeiro casamento, com Beatriz Azevedo de Mello, foi o que mais durou (10 anos no total).

    Será que ele fazia ideia que um dia, ele teria uma rua com seu nome, rua Vinícius de Moraes?

    A carreira musical teve início mesmo em 1927, quando começou a compor. Carreira essa que se consolidou apenas em 1950, com outros fundadores da Bossa Nova.

    Ao lado do compositor Tom Jobim, expressava através das músicas, as belezas do Rio de Janeiro, e também de uma garota, a famosa “Garota de Ipanema“. Seu nome foi imortalizado em uma das ruas do bairro, a rua Vinícius de Moraes.

    Saiba mais sobre a rua Vinícius de Moraes

    A rua Vinícius de Moraes está localizado no bairro de Ipanema. É composta por 6 quarteirões. Ela tem início na Avenida Vieira Souto e termina na Avenida Epitácio Pessoa.

    Apesar dos arredores serem predominantemente residenciais, há diversos comércios ao longo de toda a sua extensão, o que a torna o bairro bem “prático” para a maioria dos moradores. É considerada um ótimo local para viver.

    Além disso, dispõe também de paisagens, que mesclam construções antigas e modernas, além de árvores amendoeiras.

    Contudo, a rua nem sempre se chamou Vinícius de Moraes.

    História da rua Vinícius de Moraes

    Até o ano de 1980, a rua se chamava Montenegro.

    Porém, a prefeitura, como forma de homenagear o músico, alterou seu nome para rua Vinícius de Moraes. O poeta e músico passou muitos momentos ali; e causou, de certa forma, muita peregrinação ao local.

    Assim, resolveu-se trocar o nome.

    Inclusive, a rua também é o caminho descrito na música “Garota da Ipanema”. É o caminho que ela fazia para ver o mar, segundo a canção.

    Uma das teorias é que esta música foi composta no bar Veloso, ali próximo. Hoje, o bar também já possui outro nome: Bar Garota de Ipanema.

    Conhecendo melhor a rua Vinícius de Moraes

    Seguindo pela rua, após o bar, temos a “Toca de Vinícius de Moraes”. Trata-se na verdade, de um paraíso para os fãs do estilo musical e também do compositor.

    Criada no ano de 1993, o local é na verdade, uma mistura de livraria, loja de discos e museu. Nele, você encontra de tudo sobre a Bossa nova, desde livros a discos antigos e muitas peças relacionadas ao poeta.

    Durante os dias da semana, a pista fica invertida sentido Leblon, por conta do alto fluxo de carros em direção ao centro da cidade. Aos domingos, para o conforto de moradores, a parte que faz divisa com a praia fica fechada, figurando assim como uma boa opção de lazer.

    É possível caminhar, andar de skate, passear com cachorros e também andar de bicicleta. Há também atrações para crianças, como camas elásticas e artistas de rua.

    Qualidade de vida

    Você busca qualidade de vida para morar?

    A rua Vinícius de Moraes pode ser uma excelente opção para você. Além de viver entre o mar e a lagoa, você pode desfrutar de um dos bairros mais cobiçados do Rio de Janeiro.

    O primeiro fato que comprova tudo isto é a localização: a rua Vinícius de Moraes localiza-se ao lado da praça Nossa Senhora da Paz, onde fica uma das estações de metrô mais utilizadas. Além disso, ela também está junto ao posto 9, região conhecida como coqueirão.

    É muito frequentada por jovens, além de ser o ponto de encontro de pessoas do bairro com pessoas de bairros próximos.

    Além deste ponto, existem muitos outros conhecidos ao redor. São eles:

    • Universidade Cândido Mendes
    • Zazá Bistrô
    • Masserini Osteria di Mare
    • Forum de Ipanema.

    Existem ainda farmácias, bancos e muitas opções de serviços.

    Quase no final da rua localiza-se localiza-se um dos mais tradicionais clubes da cidade do Rio de Janeiro, o Rio de Janeiro Country Club, que alia esportes e lazer, além de infra-estrutura excelente para famílias cariocas.

    Vinícius de Moraes e Tom Jobim

    Que ambos se tornaram grandes parceiros, todos nós sabemos. São responsáveis por obras primas da música popular brasileira. Existem ainda outras diversas canções, que não alcançaram tanto sucesso como as mais famosas.

    Contudo, como esta parceria começou?

    Vinícius de Moraes percorria diversos locais do Rio de Janeiro, principalmente para se encontrar com seu amigo Tom Jobim.

    Um deles, inclusive é local onde a dupla se conheceu. O local se chama Casa Villarino. Trata-se de uma mistura de bar e loja de comidas finas e iguarias.  Você pode encontrar também bebidas , nacionais e importadas.

    A história do local é interessante.

    Tudo começou no verão de 1956. Ambos compositores foram apresentados pelo historiador Lúcio Rangel no local. Na época, ele buscava alguém para ajudar na composição da peça “Orfeu da Conceição”, do próprio Vinícius de Moraes.

    Atualmente, em uma das paredes do bar, há um painel fotográfico, em tamanho natural, como forma de homenagear ambos compositores.

    (Visited 140 times, 1 visits today)