Entenda mais sobre a economia globalizada

Entenda mais sobre a economia globalizada

Antes de falar sobre a economia globalizada, é preciso entender um pouco o processo de globalização. A globalização nada mais é o que a diminuição da distância entre os países. Isso em relação à cultura, a política, a estrutura social e, claro, em relação à economia.

A distância entre os diversos pontos da Terra diminuiu com a melhora dos transportes e da forma de comunicação, o que possibilitou o compartilhamento de aspectos que antes eram restritos em seus países.

Exportar a cultura, comidas e tradições ficou mais fácil, derrubando fronteiras. Entretanto, o principal ponto da globalização está na economia, que foi extremamente beneficiada nesse processo devido à integração dos diferentes comércios. Portanto, saiba mais sobre a economia globalizada lendo o artigo abaixo:

Como a economia globalizada começou

A economia globalizada começou sua primeira fase juntamente com o processo de globalização, na época das Grandes Navegações. O sistema econômico europeu da época, chamado Mercantilismo, precisava de mais mercado consumidor.

Entretanto, a todos as regiões próximas desse continente já haviam sido exploradas nesse sentido.

Dessa forma, as Grandes Navegações, que chegaram no continente americano expandiram o mercado consumidor do continente velho.

Além disso, o avanço que permitiu chegar no novo continente, permitiu também a circulação de pessoas e mercadorias. Isso é considerado a primeira fase da globalização econômica.

A segunda fase envolve mais o desenvolvimento do capitalismo, sistema econômico que possui grande influência sobre a economia globalizada. Houve ainda um avanço tecnológico que também ajudou no processo de globalização.

Todavia, nada se compara a terceira e a quarta fase, que fizeram a economia globalizada chegar ao patamar que ela se encontra hoje.

A terceira fase é referente a Segunda Guerra Mundial e ao período da Guerra Fria. Esse contexto histórico foi fundamental para criação de blocos econômicos. Que nada mais são que mercados econômicos de vários países sendo unificados. Ou seja, é, praticamente, o fundamento da economia globalizada.

Além disso, esse período proporcionou um desenvolvimento tecnológico gigantesco, tanto em relação aos meios de transporte, quanto em relação aos meios de comunicação. Isso culminou na Revolução técnico-científica.

Essa revolução agilizou todos os processos necessários para globalização da economia. Isso porque as pessoas, as informações e as mercadorias passaram a transitar mais rapidamente e mais agilmente que em qualquer outro período histórico.

Além disso, as multinacionais se espalharam pelo mundo fazendo com que, por exemplo, pessoas no Brasil trabalhassem para empresas japonesas.

E nunca foi mais fácil comprar um produto produzido do outro lado que chegará em poucos dias na porta da sua casa, isso tudo sem sair do próprio sofá!

Influência do neoliberalismo sobre a economia globalizada

O sistema econômico capitalista possui um papel importante nesse movimento. Todavia, o avanço do neoliberalismo foi fundamental para que a economia globalizada prosperasse.

Isso porque esse modelo defende a mínima intervenção do Estado nas questões econômicas dos países e defende, também, o livre mercado de capitais.

Além disso, o neoliberalismo prega que medidas protecionistas por parte dos Estados sejam abolidas e que os impostos sejam diminuídos.

A ideia principal é que, com intervenções mínimas, a economia prosperaria. E isso levaria ao desenvolvimento social dos países. Esse modelo foi aderido por vários países, inclusive pelo Brasil.

O Plano Real e a privatização de estatais foram medidas tomadas para se adaptar ao neoliberalismo. Assim, mais investimentos seriam atraídos para o Brasil.

Todavia, vale ressaltar que isso não foi uma tendência unanime. Alguns países, como a China, não seguiram esse pensamento e mesmo assim são parte da economia globalizada.

A consolidação dessa corrente de pensamento possibilitou a entrada de multinacionais em vários países. Um tênis da Nike, empresa americana, passou a ser produzido em território asiático.

Um celular possui seus componentes produzidos em diversos locais do mundo e sua montagem é feito em outros.

Sem dúvida, o mercado se tornou muito mais ágil. As economias passaram a ser interligadas e dependentes, ou seja, houve uma globalização das economias. Entretanto, isso também evidenciou o lado negativo sobre a economia globalizada.

Vantagens e desvantagens sobre a economia globalizada

Antes de saber as desvantagens sobre a economia globalizada, analisemos as vantagens.

Como já dito, a globalização da economia tornou possível que uma pessoa em um país trabalhe para uma empresa em outro. Além disso, uma indústria pode fragmentar seu processo de produção, focando cada etapa no lugar mais propício, em relação à logística e matéria-prima. Isso impacta no custo final do produto, que beneficia o consumidor.

Por exemplo, um produto importado para dentro do Brasil possui impostos maiores que um produto que é montado dentro do território brasileiro. Isso ocorre porque esse último é considerado um produto nacional.

A economia globalizada tornou possível que as empresas importem as peças e as tecnologias e só montem os produtos aqui. Dessa forma, a empresa lucra mais e o consumidor paga menos.

Entretanto, existem desvantagens sobre a economia globalizada que não podem ser ignoradas. A taxa de desemprego estrutural, ou seja, o desemprego criado pela inovação tecnológica ou por redução de custos, aumenta desde o começo do processo de globalização.

Muitas indústrias mudaram suas produções de países, pois a mão-de-obra era mais barata ou porque a logística era melhor. Ou seja, porque os custos eram de alguma forma reduzidos com essas mudanças.

Outra desvantagem da globalização da economia é que a crise em um país, afeta a todos os outros. O que é bem ilustrado pelas crises econômicas recentes.

Além disso, é possível perceber que existe uma diferença entre o que os países pregam do que eles fazem.

Isso porque as maiores economias do mundo possuem o discurso de intervenção mínima do Estado na economia e querem que os demais países sigam isso.

Entretanto, na prática, essas grandes economias não diminuíram seus Estados. Os EUA, por exemplo, se mantiveram extremamente protecionistas, mas são contra quem faz o mesmo. Isso torna a concorrência com os países em desenvolvimento desleal. O Brasil se encaixa nessa categoria (país em desenvolvimento).

Economia globalizada no Brasil

Sobre a economia globalizada no Brasil, pode-se dizer o Plano Real foi o primeiro passo tomado para se adaptar à realidade da economia globalizada. Todavia, como a economia do país sempre foi muito baseada no setor primário, nivelar o câmbio com o dólar tornou o principal produto de exportação brasileiro, caro.

Além disso, o desenvolvimento de indústrias tecnológicas e de bens de consumo de alto valor agregado foi prejudicado. Isso porque comprar de empresas estrangeiras era mais barato e os produtos eram melhores. Afinal, as indústrias internacionais possuíam uma melhor estrutura, que permitiam baratear o processo, e possuíam mais experiência de produção.

Entretanto, a globalização da economia também trouxe benefícios para o Brasil, como o bloco econômico Mercosul, que é um tratado de livre comércio entre o Brasil, a Argentina, o Uruguai e o Paraguai.

A globalização também possibilitou a vinda de várias indústrias para o país, o que gera mais empregos e promove o desenvolvimento de regiões que, antes, possuíam pouco investimento. A Zona Franca de Manaus é um exemplo disso.

Ou seja, podemos dizer sobre a economia globalizada que ela, assim como qualquer processo econômico, possui seus pontos positivos e negativos. E, no mundo atual, é impossível não fazer parte dessa globalização. Até a China, que manteve uma estratégia mais protecionista, está incluída na globalização econômica.