Determinantes sociais da saúde

Determinantes sociais da saúde

Os determinantes sociais da saúde (DSS) possuem uma definição fluida, que varia de acordo com a época, com o modelo social e com o tipo de conhecimento do momento. Isso gera diversos modelos de DSS que possuem estratégias de intervenção diferentes. Mas, o que são exatamente os determinantes sociais da saúde e como eles fazem diferença no dia a dia? Saiba essa e outras respostas lendo o artigo abaixo:

Causa x determinantes: qual a diferença?

Antes de entendermos o que são os determinantes sociais da saúde é importante saber diferenciar causa de determinante. Isso será fundamental para compreender o que são os DSS.

A causa nada mais é que o agente causador da doença, é uma relação simples de causa e feito. Um exemplo de causa são os vermes que causam parasitoses intestinais. Ou seja, eles são a causa, a parasitose o efeito. Porém, os determinantes sociais da saúde são mais complexos.

A relação entre os determinantes e o que eles determinam não é tão linear. Apesar disso, os DSS são mais importantes para saber se uma pessoa vai ou não desenvolver uma doença.

Citando, novamente, o exemplo dos vermes e da parasitose intestinal, os determinantes sociais da saúde explicam o motivo de crianças de classes sociais mais baixa serem mais suscetíveis a verminoses que aquelas com condições melhores de vida.

Assim, qual é exatamente o conceito de DSS?

A definição mais simples para determinantes sociais da saúde é que eles agem sobre as causas das doenças. Eles associam o comportamento individual e em conjunto com os determinantes de uma doença.

Além disso, são pautados nas condições sociais que as pessoas trabalham e vivem. Os DSS correspondem a 60% da carga que determina se uma pessoa desenvolverá ou não uma doença.

Porém, é importante ressaltar que os determinantes sociais da saúde fazem parte do grupo de quatro determinantes da saúde, sendo eles biológicos, serviços médicos, comportamento individual frente aos fatores de risco e, claro, os determinantes sociais.

Dessa forma, cada um desses determinantes é responsável por uma porcentagem na carga de doenças. Mas o que possui maior porcentagem são os DSS.

Por que o conceito pode se alterar ao longo do tempo?

Como já dito, os determinantes sociais, que incluem os DSS são fenômenos sociais interligados. Logo, a medida que a sociedade muda seu padrão de comportamento, esses fenômenos também mudam.

Dessa forma, isso resulta na alteração dos conceitos dos determinantes da saúde, em especial o determinante social da saúde. Isso ocorre justamente por ele ser o determinante mais ligado ao comportamento da comunidade.

As condições de trabalho, condições de vida e o estilo de vida são essenciais para explicar a saúde e a epidemiologia de uma determinada população.

É necessário ressaltar que condições de vida e estilo de vida são sim conceitos diferentes. Isso porque as condições de vida se referem aos bens materiais. Já o estilo de vida é algo individual, que se refere a formas de expressões culturais. Entretanto, um é influenciado pelo outro.

Dessa forma, o estilo de vida gera redes comunitárias que, por sua vez, geram as condições de vida e de trabalho das pessoas.

Qual a importância do DSS?

Pessoas com diferentes estilos e condições de vida produzem desigualdade social. A desigualdade, por sua vez, causa pobreza. Tradução social da pobreza, que é um conceito econômico, é a exclusão. Ou seja, uma pessoa em condição de pobreza pode ser excluída de empregos, educação, serviços de saúde, entre outros.

Para solucionar esse problema, a busca é pela equidade e nesse ponto entra o determinante social da saúde. Isso porque saber quais são os determinantes sociais da saúde de uma comunidade, permite criar estratégias melhores para essas pessoas.

Ou seja, saber quais situações aumentam a probabilidade de doenças, possibilita a implementação de soluções efetivas que promoverão a equidade.

Como essas intervenções podem ocorrer?

Os determinantes sociais da saúde possuem quatro níveis de atuação nos quais a intervenção pode acontecer. Entretanto, esses níveis não são hierarquizados, eles são interligados.

Ou seja, uma intervenção não precisa ocorrer somente em um nível. Além disso, uma ação pode ser pensada para qualquer nível, sem precisar seguir uma ordem e pode ser vertical ou horizontal.

Os níveis são: estilo de vida dos indivíduos, redes sociais e comunitárias, condições de vida e de trabalho e, por último, condições socioeconômicas, culturais e ambientais gerais. Dessa forma, pela divisão dos níveis é possível perceber que eles estão intimamente ligados e, dificilmente, uma intervenção ocorre em um único nível.

Um exemplo de intervenção que atua no nível individual dos determinantes sociais da saúde é a Campanha do Combate ao Tabagismo, do Centro de Oncologia, que ajuda as pessoas a pararem de fumar e incentivam as pessoas a não começar.

Porém, essa intervenção também atua no nível de condições de vida, visto que a escolha individual de começar a fumar é extremamente influenciada pela comunidade na qual se vive.

Desse modo, a campanha promove, ao incentivar as pessoas a não começarem a fumar. Ela faz isso na tentativa de criar uma sociedade que rejeita o cigarro, que é o que diminui a probabilidade de alguém da comunidade ingressar no tabagismo.

Dessa forma, essa campanha atua sobre os determinantes sociais de saúde que aumentam a probabilidade de doenças respiratórias e câncer de pulmão, que é o tabagismo. Portanto, ela atua na causa da causa de doenças respiratórias e câncer de pulmão.

Por fim, a conclusão que se chega é que saber quais são os determinantes sociais da saúde de uma sociedade permite agir de forma mais certeira para diminuir a desigualdade.

Isso porque a saúde está fortemente ligada a condição social de uma pessoa, assim, grupos menos favorecidos economicamente também são mais desfavorecidos no quesito saúde.

Não existe nenhuma justificativa biológica para a expectativa de vida no nordeste brasileiro ser menor que a média nacional. Ou seja, os determinantes sociais de saúde são os responsáveis por explicar essa situação. Isso porque uma região mais pobre economicamente apresenta maior tendência a desenvolver certas doenças e apresenta uma mortalidade maior.

Portanto, é em cima desses determinantes sociais da saúde que as ações precisam ser tomadas. Isso para que a humanidade se torne mais igualitária. Ressaltando, saber quais são os determinantes sociais da saúde é de extrema importância para a equidade social.