Ácido hialurônico: entenda tudo sobre ele

Ácido hialurônico: entenda tudo sobre ele

O cuidado com a aparência faz parte da rotina do ser humano. A ciência está sempre buscando uma fonte da juventude eterna. E, à medida que o conhecimento evoluiu, os produtos para manter uma aparência nova evoluem junto.

O botox foi, por muito tempo, o queridinho dos profissionais e dos pacientes quando o assunto era tratamento de beleza. Mas, nos últimos tempos, o preenchimento feito com ácido hialurônico se tornou o procedimento mais procurado pelas pessoas.

Para saber o que é ácido hialurônico e como ele funciona, continue lendo esse artigo!

Relacionado: Fones de ouvido sem fio: conheça as opções, saiba como escolhê-los e como usá-los

Conceito de ácido hialurônico

Para começar, é bom definir o que é ácido hialurônico. Quimicamente falando, ele é um polímero produzido naturalmente pelo corpo humano. Ele pode ser encontrado no líquido sinovial, humor vítreo e no tecido conjuntivo dos humanos.

O ácido hialurônico é responsável por manter a estrutura da pele. A estrutura dele consegue reter várias moléculas de água, o que, por sua vez, mantém a pele firme e hidratada. Entretanto, com o passar dos anos, a produção endógena desse ácido diminuiu. Dessa forma, a pele começa a ficar flácida e com rugas.

Diferença entre botox e ácido hialurônico

Antes do ácido hialurônico, o botox era o tratamento de beleza mais procurado para se combater rugas. Ele ainda é um bom tratamento, mas ele não possui a capacidade de preencher as rugas profundas.

O botox funciona melhor para prevenir a formação de rugas, visto que paralisa o músculo. Ele funciona bem, também, para rugas finas. Porém, em casos de rugas e flacidez mais acentuadas, nada funciona melhor que o ácido hialurônico.

Todavia, quem realmente pode dizer qual tratamento mais adequado para cada caso é o médico dermatologista ou profissionais da saúde habilitados em estética, como biomédicos. É importante sempre consultar e realizar procedimentos estéticos com profissionais sérios e especializados na área.

Relacionado: Conceito de saúde: saiba tudo sobre o assunto

A origem do ácido hialurônico usado nos tratamentos

Saber o que é ácido hialurônico usado nos procedimentos estéticos é um detalhe importante. Ele pode ser extraído de tecidos de mamíferos e de alguns tecidos do galo. Entretanto, ele também pode ser sintetizado utilizando bactérias. Dessa forma, é importante verificar a origem do ácido usado no tratamento ou no produto, especialmente se você for vegano ou se opta por usar produtos cruelty free.

A produção do ácido hialurônico através de processos fermentativos de bactérias possui a vantagem de ser mais rentável comercialmente. O rendimento desse processo é mais alto, quando comparado com a extração. Porém, essa não é a única vantagem. O ácido proveniente da extração bacteriana causa menos alergia do que o ácido de origem animal.

Relacionado: O que faz o agente comunitário de saúde

Como é feito o tratamento tópico e injetável

O tratamento com ácido hialurônico é feito injetando ele nas regiões desejadas. Pode ser em olheiras profundas, rugas acentuadas, um local com perda de gordura (como a maçã do rosto) e, até mesmo, para o preenchimento de lábios.

Todavia, esses dois últimos procedimentos possuem objetivos diferentes de evitar rugas. O primeiro é para compensar a perda de gordura nessa região do rosto e o segundo é para aumentar a boca. Ele também pode ser usado para harmonização facial.

Porém, você pode não possuir rugas acentuadas, olheiras profundas e nem querer aumentar os lábios. Mas, quer prevenir o envelhecimento da sua pele. Uma boa dica é usar produtos para o rosto que possuem ácido hialurônico na sua composição. Existem vários, como hidratantes faciais, sérum anti-idade, creme para área dos olhos, entre outros.

Eles também possuem uma boa eficácia e são capazes de prolongar a juventude, pois devolvem para a pele o ácido hialurônico que é perdido aos poucos com a idade.

Relacionado: Cloridrato de ranitidina: remédio é retirado do mercado

Quem pode aplicar esse ácido

O tratamento injetável de ácido hialurônico só pode ser feito por médicos especialistas na área, como cirurgiões plásticos e dermatologistas, e biomédicos habilitados em estética. Dessa forma, é muito importante se consultar com o profissional correto e sempre verificar se ele, realmente, pode atuar na área da estética.

Realizar tratamentos estéticos com pessoas que não possuem a formação adequada pode fazer o resultado final não ser o esperado. Entretanto, isso não é o pior que pode acontecer. Um profissional não habilitado é muito mais propicio a cometer erros que podem ter consequências graves para o paciente. Um exemplo é atingir um nervo facial quando isso não deveria acontecer.

Além disso, os profissionais habilitados são fiscalizados pela ANVISA, garantindo que os produtos usados estão dentro da validade e do controle de qualidade. Porém, o mesmo não pode ser dito das pessoas que realizam o procedimento ilegalmente. Dessa forma, sempre procure um profissional da saúde especializado, se você pensa em realizar esses tratamentos.

Relacionado: Narcolepsia: Cansaço e sono em excesso pode ser sinal da doença

As vantagens e as desvantagens do ácido hialurônico:

Por ser uma substância natural do nosso corpo, ele não causa reações inflamatórias. Além disso, ele protege a pele de fatores externos e internos, combatendo as rugas e a flacidez de todas as formas possíveis. E, claro, ele trata das rugas já existentes. Mas, sua maior vantagem é que o tratamento é reversível.

Se o resultado final não foi o esperado, ou se a pessoa se arrepender da harmonização feita, é fácil resolver. Existe a injeção de hialuronidase, que nada mais é que a enzima capaz de degradar o ácido hialurônico. Assim, o tratamento pode ser facilmente desfeito.

Todavia, isso também é a maior desvantagem do tratamento com ácido hialurônico. Da mesma forma que o ácido hialurônico é, naturalmente, presente no corpo humano, a hialuronidase também é. Assim, é questão de tempo até que nosso próprio corpo destrua todo o ácido injetado.

Dessa forma, o tratamento tem prazo de validade, que depende do metabolismo de cada pessoa. É um tratamento que precisa ser renovado várias vezes.

Porém, para o tratamento de rugas profundas, flacidez e preenchimento facial, não há nada melhor que o ácido hialurônico. Pelo menos, não no momento.