A Disney está sendo acusada por uma ONG da Coreia do Sul de violar as leis antimonopólio do país. De acordo com o The Hollywood Reporter, o grupo Public Welfare Committee alega que a Disney está monopolizando as salas coreanas de cinema com o lançamento de “Frozen 2”.

A ONG apresentou uma queixa junto aos promotores locais contra a Walt Disney Company e, segundo os dados apresentados pelo grupo, a empresa está exibindo o filme em 88% das salas de cinema do país, o que viola o acordo que impede que uma ou mais empresas controlem um espaço do mercado coreano, não podendo ultrapassar 50%.

Desde o seu lançamento em 22/11, o filme já faturou US$ 61,2 milhões só na Coreia do Sul, fazendo do país o terceiro maior mercado do filme no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (US$ 287,6 milhões) e da China (US$ 90,5 milhões), o que obviamente é um feito impressionante para um país do tamanho da Coreia.

O caso levantou, novamente, um debate sobre à exibição de filmes no país. Ao assumir o cargo em abril, o ministro da Cultura da Coreia, Park Yang-woo, prometeu considerar a implementação de um sistema de cotas de tela para a indústria cinematográfica nacional. No mesmo mês, o representante da Assembléia Nacional, Woo Sang-ho, apresentou um projeto de lei que declara que a porcentagem de qualquer filme exibido em qualquer cinema não pode ultrapassar 50% durante o horário nobre, definido como entre 13h e 23h, mas o projeto ainda está pendente.

Apesar das acusações, a Disney ainda não se manifestou sobre o assunto. Enquanto isso, “Frozen 2” segue a caminho de superar o enorme sucesso do primeiro filme, lançado em 2014.

Fonte: B9

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.