A propagação do mal na contemporaneidade

PublishNews, Redação, 02/12/2019

Vencedor do prêmio Nobel de literatura, Elias Canetti conjuga na obra a antropologia, psicanálise, economia política, história das religiões, ciência política e a sociologia da cultura

Assustado e pesaroso diante do espetáculo de adesão crescente das massas populares às organizações nazistas, na Alemanha e na Áustria dos anos 1930, o então jovem escritor Elias Canetti passou as três décadas seguintes tentando decifrar os segredos profundos da humanidade em suas manifestações mais corriqueiras e terríveis: mandar e obedecer; matar e sobreviver; medo e voracidade; paranoia e poder. O resultado dessa obsessão é Massa e poder (Companhia das Letras, 624 pp, R$ 59,90 – Trad.: Sérgio Tellaroli), obra-prima do ensaísmo, que une descrição narrativa a diversas áreas do saber — entre elas, a antropologia, a psicanálise, a história das religiões e a ciência política — e destrincha de modo singular a propagação do mal na contemporaneidade.

Fonte: Publish News

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.