Este post faz parte do RD Summit Live Show, a cobertura completa do RD Summit 2019. Além de artigos, teremos entrevistas com palestrantes, fotos, vídeos e mais durante os três dias de evento. Visite a página da cobertura e fique por dentro de tudo!

Uma das maiores experts em marketing de conteúdo do mundo, Ann Handley palestrou pela segunda vez diante da platéia lotada do RD Summit. Neste ano, ela falou sobre como criar conteúdos que se conectam com o seu público.

Para começar, ela contou a história de um coelho — que ela passou a chamar de Bun — que apareceu em seu próprio quintal. O objetivo era atrair o bichinho com alguma coisa, e para isso ela utilizou cenoura, que pensou ser a comida favorita dos coelhos, mas não funcionou. 

Então, ela experimentou salsão e, por fim, uma montanha de legumes diferentes. O resultado? Acabou assustando o coelho, que não voltou durante dias.

Mas o que isso tem a ver com marketing?

Para Ann Handley, é possível fazer um paralelo dessa situação com um campanha de marketing de conteúdo. Ela testou duas campanhas diferentes e, depois, enviou um spam (a montanha de legumes), assustando o consumidor em potencial. 

“O coelho foi preparado para não gostar de mim. Com muita frequência, isso é o que nós, enquanto clientes, fazemos com o marketing. Quando vimos um sinal de marketing vindo na nossa direção, vamos embora. O consumidor é preparado para não confiar na gente”, diz.

Otimizando a jornada do cliente

Por isso que é preciso otimizar a jornada do cliente — ou do coelho, se for o caso.  

A especialista defende que a primeira coisa a fazer é desacelerar. “Eu abordei o Bun quase como se fosse uma corrida, mas essa era a maneira errada de abordá-lo. Em vez de fazer isso, eu deveria ser mais estratégica”, diz.

No marketing, acontece da mesma forma. Todos querem a atenção dos clientes, mas o melhor a fazer é disputar a confiança deles. “Isso é crítico, é tudo o que temos em 2019. É isso que os seus clientes estão buscando, confiança”, fala.

De acordo com a MarketingProfs, empresa da palestrante, 73% dos profissionais de marketing estão produzindo mais que no ano passado. São mais posts, webinars, infográficos. Mas apenas 35% realmente desses profissionais sabem se a estratégia de conteúdo é efetiva, ou se só acrescenta ruído.

“A montanha de legumes não é uma estratégia de marketing otimizada”, compara. “É desacelerar para acelerar o seu negócio mais para frente”, diz.

Conheça o seu público

Ann Handley falou sobre a importância de realmente conhecer o seu público. O que o seu público quer de você? O que só você consegue oferecer? O que une o seu público? O que o compele emocionalmente? São algumas perguntas que ela sugere fazer. “Não é só sobre persona ou público-alvo, mas sobre os corações que você está tentando tocar”, diz.

Ann Handley trouxe o exemplo da Case Knives, marca de facas norte-americana que, com o slogan keep your hands sharp, criou conexão com o público. Para ela, eles fizeram marketing peer-to-peer, e não brand to target.

Para ela, contar histórias é tão importante quanto ter dados.

“A sua história não é sobre a sua solução, sobre o seu produto, é a respeito da pessoa que você está tentando alcançar. Traga ela para o centro e conte essa história humana”, recomenda.

Use o email marketing da forma certa

Ela falou ainda sobre como usar o email marketing da forma certa. Para ela, o email é o único lugar onde as pessoas, e não os algoritmos, estão no controle. O problema é só enviar mensagens com o que você quer dizer, sem ouvir os clientes. 

Para um email marketing com mais proximidade, a dica dela é não usar emails genéricos como newsletter@ ou naoresponda@. Lembre-se: embora possa enviar mensagens em massa, elas são recebidas por uma pessoa somente. 

“Quando escrevo para a minha newsletter, penso em um assinante. Pode ser alguém com quem conversei aqui no evento ou em uma rede social. Quanto mais pessoal for, mais universal vai ser, e mais humana a minha voz será. Independentemente do número de pessoas que recebem, você envia para uma caixa de entrada”, conclui.

Marcadores:

Fonte: Resultados Digitais

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.