A senadora Rose de Freitas (Podemos-ES) defendeu em Plenário nesta quinta-feira (7) aprovação do Projeto de Lei (PL) 1.909/2019, de sua autoria, que inclui a prevenção à violência contra a mulher no currículo escolar. Ela ainda sugeriu, no âmbito da proposta, transformar a temática dos direitos humanos e cidadania em disciplina obrigatória.

Para Rose de Freitas, o combate à violência contra a mulher pode avançar por meio de discussões dentro das escolas, permitindo que o aluno conheça ainda mais sobre os valores ligados ao respeito às mulheres e a igualde entre os gêneros.

— Se nós não tivermos capacidade de discutir dentro das escolas esses valores da cidadania e dos direitos humanos, consequentemente aquela mente infantil vai absorver que é comum um homem bater em uma mulher, maltratar um idoso, maltratar uma criança. Esse, sim, é um parâmetro educacional que nós queríamos que fosse tratado como matéria curricular — avaliou.

A senadora também comemorou a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 75/2019, também de sua autoria, que torna o crime de feminicídio e o estupro imprescritíveis. A matéria seguiu para votação na Câmara dos Deputados.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.