Pela primeira vez, Instituto Pró-Livro faz pesquisas com o objetivo de traçar o perfil leitor de frequentadores de eventos literários. Flup e Bienal do Rio foram os dois primeiros eventos dessa série.

Leitoras são a maioria entre os frequentadores tanto da Bienal do Rio (na foto) quanto da Flup | Divulgação / Bienal

Graças à parceria com o Itaú Cultural, o Instituto Pró-Livro começou a fazer mini-edições da pesquisa Retratos da Leitura para traçar o perfil do leitor-frequentador de eventos literários. Os dois primeiros eventos mapeados pela nova iniciativa foram a Bienal Internacional do Livro Rio, realizada entre 30 de agosto e 8 de setembro, e a Festa Literária das Periferias (Flup), que aconteceu entre os dias 16 e 20 de outubro. A ideia é comparar esses resultados com a Pesquisa Retratos da Leitura que terá nova edição no ano que vem.

O PublishNews teve acesso, em primeira mão, a esses resultados e compartilha agora com seus assinantes algumas conclusões a que a pesquisa chegou.

Levando em conta os resultados da última pesquisa Retratos da Leitura, de 2015, os frequentadores desses dois eventos leem muito mais do que a média brasileira. Na Flup, os frequentadores declararam ter lido 7,9 livros (inteiros ou em partes) nos últimos três meses e na Bienal, 6,6. A média apurada na última Retratos da Leitura era de 2,5 livros lidos nos últimos três meses.

Na Flup, 97% dos frequentadores são considerados leitores e na Bienal, esse índice chega a 95%. A pesquisa de 2015 apontava que 53% da população brasileira poderia se enquadrar como leitora.

Outra comparação feita é em relação àqueles que declararam gostar muito de ler. Na Flup, 77% dos frequentadores responderam positivamente e na Bienal, 74%. Na pesquisa de 2015, apenas 30% da população brasileira disse sim a essa pergunta.

As mulheres são maioria nos dois eventos: 60% na Flup e 58% na Bienal. Sessenta e cinco por cento dos entrevistados na Bienal, estava lendo um livro naquele momento. Os autores mais citados pelos frequentadores da Bienal foram J.K. Rowling, Augusto Cury e George R.R. Martin. Os livros mais citados foram: a Bíblia, O diário de Anne Frank e Harry Potter, de Rowling. Já na Flup, 74% declararam que estavam lendo um livro naquele momento. Os três autores mais citados pelos entrevistados foram: Djamila Ribeiro, Ângela Davis e Machado de Assis. Na minha pele, de Lázaro Ramos; Memórias da plantação, de Grada Kilomba, e O diário de Anne Frank, são os livros mais citados pelos entrevistados da Flup

Clique aqui para baixar os resultados da pesquisa.

Fonte: Publish News

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.