O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) apresentou nesta quarta-feira (6) em Plenário um relatório da Agência Nacional de Mineração (ANM) segundo o qual a mineradora Vale ocultou informações sobre a barragem que rompeu em Brumadinho (MG), em janeiro deste ano. Segundo o senador, a companhia, além de conhecer os problemas na barragem, forneceu à ANM informações diferentes das que constam do sistema interno da empresa.

Kajuru informou ainda que a Vale realizou vistoria na barragem três dias antes da tragédia e se omitiu ao não repassar os problemas identificados à ANM. Todos dos dados omitidos, avalia ele, poderiam ter ajudado a reduzir os danos que a tragédia provocou. A tragédia de Brumadinho causou a morte de 252 pessoas e deixou 18 desaparecidos.

— Todas as informações omitidas poderiam ter ajudado a reduzir os danos, graças ao acionamento do plano de segurança de barragem, inclusive com a interdição do refeitório, que estava no caminho dos rejeitos que o soterraram depois do rompimento. O relatório da Agência Nacional de Mineração não aponta culpa, mas serve de material para investigações criminais que já estão em andamento. O documento foi encaminhado à Polícia Federal, ao Tribunal de Contas da União, à Polícia Civil de Minas Gerais, ao Ministério Público e à Controladoria-Geral da União — disse.

Kajuru participou da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Brumadinho, do Senado. Após três meses de investigações, a CPI pediu o indiciamento de 14 pessoas, entre representantes da Vale e da empresa de auditoria TÜV SÜD pelo crime de omissão.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.