O secretário-geral e corregedor nacional da OAB, Ary Raghiant Neto, esteve na tarde desta sexta-feira (1º) na sede da OAB-MT, em Cuiabá, para realização de mais uma etapa das correições ordinárias. Ele estava acompanhando pelos corregedores Luiz René Gonçalves do Amaral e José Carlos de Oliveira Guimarães e pela analista jurídica Aline Portela. O grupo analisou a estrutura física e os processos em tramitação no Tribunal de Ética e Disciplina (TED).

“O papel da corregedoria nacional é colher as informações relacionadas ao processo ético e ao mesmo tempo apresentar soluções a questões pontuais que possam representar gargalos que geram atrasos. Essa peculiaridade decorre justamente do fato de que cada seccional tem a sua autonomia administrativa, financeira e na gestão dos processos. Portanto, trocamos as experiências das outras seccionais para que possamos melhorar. Em Cuiabá, tivemos inúmeros pontos positivos. O Tribunal de Ética está de parabéns e alguns pontos que detectamos como gargalos vamos corrigir para a próxima inspeção”, disse Raghiant Neto.

Para o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos, as correições são um trabalho de extrema importância. “A Ordem cobra e cobra muito. Não podemos deixar de fazer o dever de casa e dar exemplo. Esse olhar externo e atento da Corregedoria é fundamental para apararmos eventuais arestas e implementarmos sempre o melhor”, disse ele.

Ao final dos trabalhos, a equipe da corregedoria nacional se reuniu com a diretoria da OAB-MT, o presidente, vice-presidente e secretário-geral do TED, João Beneti, Silvano Macedo e Christiano Gonçalves, respectivamente, para a entrega da Carta da Corregedoria e apresentação do diagnóstico de trabalho.

Fonte: OAB

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.