A Fundação Censgranrio e escolas particulares firmaram nesta segunda-feira (21) um convênio com que permitirá às instituições privadas participar do Pisa para Escolas (Pisa-S) em 2020. A avaliação internacional permitirá que as escolas comparem os próprios resultados com o desempenho de estabelecimentos de outros países. A adesão é voluntária.

O Pisa-S é uma avaliação da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) baseada no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), exame internacional voltado para estudantes de 15 anos de cerca de 70 países. Assim como no Pisa, são avaliados os conhecimentos em matemática, ciências, leitura e habilidades socioemocionais e coletados dados socioeconômicos e informações sobre o ambiente de aprendizagem, entre outros.

O convênio foi firmado entre a Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) e a Fundação Censgranrio, única instituição brasileira credenciada pela OCDE. As escolas que desejarem participar da avaliação devem fazer a adesão por meio dos 22 sindicatos estaduais. Para tanto, será necessário preencher determinados requisitos, entre os quais, um mínimo de 42 alunos, com idade de 15 anos, e ter computadores disponíveis para que todos façam a prova.

Cada escola participante da avaliação recebe um relatório detalhado, com evidências sólidas acerca dos fatores que afetam o seu desempenho e com indicações de como promover a melhoria da aprendizagem para todos os estudantes. Os relatórios individuais de cada escola são de domínio da escola ou rede de ensino, e não é permitido divulgar os resultados obtidos sem autorização expressa dos gestores escolares. A partir deste ano, o Pisa será oferecido por meio de plataforma da OCDE e todas as provas serão online.

O Pisa-S será aplicado em instituições privadas a partir de maio de 2020. Os estudantes responderão a questões de múltipla escolha e 44 questões dissertativas. Os alunos também respondem um questionário que investiga o clima escolar, o contexto ocioeconômico, a relação entre professores e alunos, entre outros assuntos.

A avaliação foi oficialmente lançada no Brasil em junho deste ano, mas já foi aplicada em um projeto piloto, em 2017, no país. Participaram, naquele ano, 46 escolas, sendo 13 escolas particulares e 33 públicas, das quais 23 eram da cidade de Sobral, no Ceará.

Após o lançamento oficial, entre as escolas públicas, São Paulo foi o primeiro estado este ano a aderir ao Pisa-S. No mundo, o Pisa para Escolas já foi aplicado em mais de 2,5 mil escolas de 11 países.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.