A Netflix anunciou nesta segunda (21) que está planejando fazer um novo empréstimo de 2 bilhões de dólares para aumentar o número de fundos na produção e compra de conteúdos para sua plataforma. Os empréstimos serão feitos em denominações tanto de dólar quanto euro.

Aos investidores, a empresa defende a decisão alegando que “Com nossa base de arrecadação crescendo rapidamente e pela expansão das operações marginais, nós seremos capazes de financiar ainda mais conteúdo gasto internamente.”, além de afirmar que “Conforme nós lentamente nos movemos para um caixa positivo, nosso plano é de continuar a usar este mercado de alto rendimento como parte essencial de nossas necessidades de investimento”.

A notícia chega de surpresa dado o nível de dívida que a Netflix atualmente acumula no mercado. Embora ainda esteja em ritmo de crescimento da base de assinantes (mesmo que a curva tenha diminuído nos últimos relatórios fiscais), a companhia gerida por Reed Hastings deve hoje cerca de US$ 12,43 bilhões, o que já é 2 bilhões de dólares acima dos US$ 10,34 bilhões registrados em outubro de 2018 – quando anunciou um empréstimo de porte parecido, ainda por cima.

Os empréstimos já acumulados, vale dizer, ainda não foram pagos de forma significativa. No terceiro trimestre deste ano a Netflix só pagou 160,7 milhões de dólares em gastos de interesse, o que apesar de ser bem mais que os 108, 9 milhões gastos no mesmo período em 2018 ainda é muito longe de deixar os livros no positivo.

Fonte: B9

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.