Sérgio Pardellas deixa o cargo de diretor de redação da IstoÉ. O motivo? Ele acaba de ser contratado pela revista digital Crusoé

No início da semana, o Portal Comunique-se destacou em reportagem que o volume de assinantes digitais do Estadão superou o do impresso no ano passado — e que tal diferença aumentou em 2019. Mas não é só na marca mantida pelo Grupo Estado que o online começa a superar o papel. Além do público, profissionais estão mudando de mídia. É o que acaba de ocorrer, por exemplo, com Sérgio Pardellas. Ele deixa o cargo de diretor da IstoÉ para assumir novo desafio na revista digital Crusoé.

Leia mais:

A contratação de Sérgio Pardellas por parte da Crusoé foi selada na tarde desta sexta-feira, 18. Na revista digital fundada por Diogo Mainardi e Mario Sabino, dupla que controla o site O Antagonista, o mais novo contratado terá dupla função. Ele chega ao título assumindo o posto de redator-chefe. Será, dessa forma, o braço direito do diretor de redação Rodrigo Rangel, que está à frente da publicação virtual desde a sua concepção, em fevereiro de 2018. Sérgio Pardellas, porém, também produzirá reportagens em seu mais novo emprego.

A editoria em que Sérgio Pardellas atuará é de política. Assunto com o qual já está familiarizado. Na IstoÉ desde 2007, ele foi repórter da sucursal da semanal em Brasília por quatro anos. Depois, já transferido para a sede da Editora Três em São Paulo, atuou como editor de política, editor-executivo e redator-chefe. Em dezembro de 2018, teve mais um reconhecimento na empresa e foi promovido a diretor de redação. Além do cargo de gestão, ele vinha sendo responsável por artigos mensais sobre o tema que merecerá seus cuidados na revista digital Crusoé a partir da primeira semana de novembro: política.

Reforço da revista digital Crusoé, Sérgio Pardellas deixa a IstoÉ e a cidade de São Paulo. Ele vai voltar a trabalhar em Brasília

Crise…

Sérgio Pardellas deixa a IstoÉ em mais crise financeira enfrentada pela Editora Três. No início do mês, outro impresso do grupo sofreu baixa em sua linha de frente. Redator-chefe da IstoÉ Dinheiro desde novembro do ano passado, Edson Aran resolveu se dedicar a novos projetos profissionais. Além de pontuar que não crê no futuro para o modelo atual de revista impressa, ele evidenciou o problema enfrentado pela empresa. “Pesa na decisão [de sair] os frequentes atrasos de pagamento da Editora Três”, afirmou o jornalista em mensagem no LinkedIn.

O jornalista Sérgio Pardellas. Mais um reforço para a revista digital Crusoé. (Imagem: divulgação/IstoÉ)

Crescimento

Enquanto a IstoÉ e a IstoÉ Dinheiro sofrem com crise financeira e baixas em seus comandos, a Crusoé vem investindo. A chegada do redator-chefe Sérgio Pardellas representa a terceira contratação da redação em um mês. No início de setembro, a revista digital dirigida por Rodrigo Rangel já havia desfalcado outros dois veículos oriundos da mídia impressa. A publicação online contratou, na ocasião, os repórteres Fabio Leite e Renato Alves. Eles estavam no Estadão e no Correio Braziliense, respectivamente.

Com edições semanais, a Crusoé teve a sua primeira edição divulgada na primeira semana de maio de 2018. Na ocasião, apresentou ao público entrevista exclusiva com o então juiz federal Sergio Moro. De lá para casa, a publicação só cresceu e investiu em contratações de jovens talentos e profissionais renomados. Atualmente, a redação é composta por 8 jornalistas. E conta com reforços. Finalista do Prêmio Comunique-se 2019 como ‘Jornalista Influenciador Digital’, Felipe Moura Brasil é colunista do título. Prestes a completar um ano e meio de vida, a revista digital sediada em Brasília conta com cerca de 75 mil assinantes.

Fonte: Comunique-se

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.