Edição explica por que músicas, filmes e até desenhos animados são cada vez mais cobrados nos concursos e ainda traz entrevista com Ana Maria Machado

A edição de outubro do Jornal Cândido, da Biblioteca Pública do Paraná, discute as novas e diferentes linguagens exigidas nos vestibulares. De Machado a Mano Brown é o título do especial de capa, que explica por que músicas, filmes e até desenhos animados são cada vez mais cobrados nos concursos. Na reportagem assinada pelo jornalista Murilo Basso, professores mostram como o conceito de literatura se expandiu ao longo dos anos e afirmam: a inclusão de obras não necessariamente literárias na lista de leituras obrigatórias é uma forma de oferecer aos estudantes uma experiência de aprendizagem mais completa. Outro destaque da edição do Cândido 99 a transcrição da edição de agosto do evento Um Escritor na Biblioteca, que trouxe a autora carioca Ana Maria Machado ao auditório da BPP. Na conversa, a ocupante da cadeira número 1 da Academia Brasileira de Letras falou, entre outros temas, sobre sua formação como leitora, a experiência como proprietária da livraria infantil Malasartes, o exílio na Europa durante a ditadura militar e a recente polêmica envolvendo o livro O menino que espiava pra dentro, acusado de incitar o suicídio.

Fonte: Publish News

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.