Há alguns dias, o governo chinês baniu a série de animação adulta “South Park” de seu território. A série nunca havia sido exibida oficialmente no país, mas poderia ser encontrada na internet, pelos meios “alternativos”. Agora, não mais. A China conseguiu bloquear até mesmo os downloads alternativos dos episódios da série. O motivo do banimento teria sido um episódio da série no qual um dos personagens critica a censura do país.

Agora, a série respondeu a censura do jeito desbocado e irreverente que marcou sua trajetória. Em seu episódio de número 300, intitulado “Shots!!!”, o seriado mostrou o personagem Toalinha forçando Randy Marsh a dizer “f***-se o governo chinês!”. Apesar de estar relutante no começo – no episódio anterior, Marsh estava na China vendendo maconha – o sujeito acaba cedendo e fazendo a declaração.

O episódio da semana passada, que gerou o banimento, foi o primeiro a abordar o assunto. “Band in China” debochou da prática de censura do governo chinês e da confiança que Hollywood têm no potencial de bilheteria que seus blockbusters possuem na China – hoje, boa parte de filmes da Marvel Studios, por exemplo, traçam estratégias de lançamento focadas no mercado chinês.

O banimento de “South Park”, porém, não necessariamente significa que a série perdeu qualquer acesso ao público chinês. Inclusive de acordo com o Hollywood Reporter, a briga gerada entre o governo do país e a produção do Comedy Central fez o público dos protestos de Hong Kong exibir “Band in China” em uma das ruas da região justa para afrontar os órgãos de censura.

Não é de hoje que “South Park” entra em polêmicas e foge da isenção. No começo da década passada, por exemplo, a série também foi bastante comentada em um momento no qual retratou o ex-presidente americano George W. Bush admitindo estar por trás dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001.

Fonte: B9

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.