A capital do Pará, Belém, deve ser oficializada em breve como Capital Nacional do Açaí. É o que propõe o PLS 26/2018, de autoria do ex-senador Flexa Ribeiro. A proposta é um dos 13 itens da pauta de votações da reunião que a Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) promove na terça-feira (24), a partir das 11h.

Na justificação do projeto, o autor explica que o açaí é uma palmeira nativa da Amazônia que se tornou internacionalmente conhecida nas últimas décadas “pelo sabor incomparável e pelas propriedades nutritivas de seu fruto”. Encontrado na forma nativa no Pará, Maranhão, Amazonas, Acre, Rondônia e Tocantins, a planta também é cultivada em vários outros estados.

De acordo com o projeto, o Pará responde por pelo menos 70% da produção nacional do açaí, que também é encontrado em países próximos como Venezuela, Colômbia, Equador e nas Guianas.

“Profundamente integrado à vida da população amazônica, o açaí é consumido, antes de tudo, como alimento, pelo aproveitamento do seu fruto na forma de doces, geleias, sorvetes e sucos, mas principalmente pela mistura de sua polpa com comidas salgadas. A polpa do fruto de açaí misturada à farinha de mandioca ou à tapioca, acompanhada ou não de peixe frito ou assado, de camarão ou mesmo de carne bovina, são pratos dos mais apreciados e consumidos pelos amazônidas e, especialmente, pelos paraenses. Uma pesquisa realizada em 1999 mostrou que o fruto do açaí era responsável por cerca de 42% do peso total de alimentos consumidos por populações ribeirinhas tradicionais da Amazônia”, informa a justificação do PLS.

Além disso, conquistou todos os estados brasileiros e diversos países com a “polpa do fruto congelada e misturada a frutas, cereais e outros alimentos”, no prato que ficou conhecido como “açaí na tigela”. O relator, senador Zequinha Marinho (PSC-PA), já apresentou voto favorável à aprovação do projeto. A reunião será feita na sala 15 da Ala Alexandre Costa, no anexo 2 do Senado Federal.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.