Em ‘A noite dos olhos’, Heloisa Seixas explora diferentes narradores, estilos e cenários, criando histórias e desfechos que surpreendem o leitor

Ao longo de sua carreira, Heloisa Seixas transitou pelos mais diversos gêneros literários. Após publicar dois romances em sequência — O oitavo selo e Agora e na hora —, a escritora carioca volta às formas breves, que marcaram sua estreia na literatura, com este volume de contos. Em A noite dos olhos (Companhia das Letras, 166 pp, R$ 64,90), Heloisa explora diferentes narradores, estilos e cenários para retratar situações ora cotidianas, ora inesperadas. O título do livro – homônimo de um conto que narra a tensão diante do desconhecido em uma noite sombria – antecipa a atmosfera soturna das páginas. Já em Dilema no escuro, temos uma protagonista enclausurada, atormentada por uma possível traição. Embora independentes, essas histórias têm em comum uma prosa apurada, e se aproximam por fios invisíveis. Entremeadas aos dezesseis textos mais longos, o livro inclui duas seções de microcontos que transmitem toda a potência do gênero em sua forma mínima.

Fonte: Publish News

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.