O Procon Carioca iniciou hoje (9) um mutirão online de renegociação de dívidas com empresas, em comemoração aos 29 anos do Código de Defesa do Consumidor.

A ação é promovida pelo órgão em conjunto com a Associação Brasileira de Procons (Proconsbrasil). O mutirão se estenderá até o próximo dia 20, facilitando a renegociação direta dos consumidores com cerca de 100 bancos e instituições financeiras cadastradas, por meio da plataforma consumidor.gov.br, do Ministério da Justiça.

A subsecretária do Procon Carioca, Silvânia Parente, afirmou, em entrevista à Agência Brasil, que a renegociação de dívidas se destina somente a bancos e instituições financeiras. “Como é um mutirão para renegociação de dívidas, os bancos vão oferecer descontos bem atraentes para esse consumidor”. O desconto vai depender do caso e da instituição.

Procon Carioca faz ação no Centro da cidade, em comemoração aos 29 anos do Código de Defesa do Consumidor  – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Os atendentes do Procon Carioca deram início a uma operação presencial no Largo da Carioca, centro do Rio de Janeiro, que prosseguirá até quinta-feira (12), onde vão ensinar ao consumidor como fazer a renegociação no site do órgão, como, por exemplo, baixar o aplicativo do consumidor.gov.br e acessar o site para fazer a renegociação. “Também vamos ajudar aquele consumidor que tem problemas relativos a outros segmentos econômicos, como operadoras de telefonia”, explicou Silvânia.

O registro dos pedidos e as reclamações serão encaminhadas às empresas. Os consumidores que não tenham acesso à internet ou não saibam usar o computador para renegociar as dívidas no mutirão receberão ajuda, destacou a subsecretária.

O Procon Carioca também vai distribuir até o dia 12, no Largo da Carioca, material educativo com dicas sobre programas de consumo e direitos do consumidor. “Também estamos fazendo o papel educativo no Largo da Carioca”, afirmou a subsecretária.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.