O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) ressaltou nesta sexta-feira (6), em Plenário, que a Operação Lava Jato está sob ataque dos três Poderes. Para ele, é preciso informar a população. Girão também se mostrou preocupado com a indicação do novo Procurador-Geral da República, que será sabatinado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O senador disse que ficou “com pé atrás” por declarações feitas pelo indicado a respeito da Operação Lava Jato que, segundo ele, já devolveu R$13 bilhões para o país. Ele garantiu que ficará atento à indicação.

— Procurador-Geral da República que promoveu festas recentes para pessoas que foram condenadas por corrupção depois. Essa festa foi em 2016, mas ocorreu. Criticou a Operação Lava Jato, não está na lista tríplice, que era uma tradição na escolha pelo presidente da República, do PGR. Então, eu não conheço o indicado para a Procuradoria, mas vou ficar muito atento a todos os movimentos — disse.

O parlamentar demonstrou mais uma preocupação com a operação. Segundo ele, na delação de Léo Pinheiro, um dos donos da OAS — empresa envolvida em esquema de corrupção — haviam citações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia e do irmão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que foram retiradas pela Procuradoria-Geral da República.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.