Parte da população de Campo Grande (MS) terá horário de atendimento ampliado na atenção à saúde primária. O ministro da Saúde, Henrique Mandetta, implantou, nesta segunda-feira (22), o programa Saúde na Hora na Unidade de Saúde da Família Iracy Coelho.

O Saúde na Hora foi lançado em maio e amplia o horário de atendimento das unidades de saúde da família que permanecem de portas abertas durante o horário de almoço, à noite e, opcionalmente, aos fins de semana.

A mudança aumenta o acesso da população a atendimentos da atenção primária como consultas médicas e odontológicas, exames laboratoriais, vacinas e pré-natal.

Ao discursar na cerimônia em Campo Grande, o ministro Mandetta disse que o Saúde na Hora vem reestruturar a porta de entrada do atendimento à saúde, que é a atenção primária.

Segundo ele, o atual horário de funcionamento dificulta o acesso dos trabalhadores às unidades durante o dia. “As mulheres trabalhadoras saem de casa pro trabalho às 5h30 da manhã, os postos abrem às 7h. Se ela for pro posto às 7h, ela chega atrasada. Das 11h às 13h fecha o posto para o almoço. Das 13h às 17h o posto funciona, mas ela vota pra casa 18h, 19h. Só sobrava pra ela ou pro homem trabalhador a opção de ir a uma UPA ou Pronto Socorro”, disse.

Saúde na Hora

Atualmente, a maior parte das 42 mil unidades de saúde da família em todo o país funcionam por 40 horas semanais. Com o Saúde na Hora, a carga horária de atendimento das unidades que aderirem ao programa pode variar entre 60 horas, com a unidade de saúde da família abertas das 7h às 19h, e 75 horas semanais, com funcionamento das 7h às 22h. A iniciativa amplia o repasse de recursos mensais aos municípios.

O programa conta com a adesão de 300 Unidades de Saúde da Família (USF) que passaram a ampliar o horário de atendimento à população de 56 municípios, representando uma cobertura de mais de 3,5 milhões de pessoas.

 

Fonte: Governo Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.