Editora lança edição de ‘Memórias póstumas de Brás Cubas’ com ilustrações de Candido Portinari, lançada em 1943 e com tiragem de apenas 400 exemplares

Memórias Póstumas de Brás Cubas (Antofágica, 456 pp, R$ 69,90) tem como narrador e personagem principal um defunto chamado Brás Cubas, um homem rico e solteiro que, depois de morto, resolve se dedicar à tarefa de narrar sua própria vida. Dessa perspectiva, emite opiniões sem se preocupar com o julgamento que os vivos podem fazer dele. Brás Cubas vê o mundo com ceticismo e desprezo e, dirigindo sua crítica ao gênero humano, transforma o próprio leitor em uma das vítimas das ironias do livro. A obra de Machado de Assis ganhou uma edição especial pela Antofágica, com 88 ilustrações de Candido Portinari, feitas na década de 1940 para uma edição particular de 400 exemplares; notas feitas pelo especialista na obra machadiana, Rogério Fernandes dos Santos; João Candido Portinari, diretor do Projeto Portinari, filho de Candido Portinari assina um texto em que fala sobre a importância em resgatar uma obra como Memórias Póstumas; e Ale Santos (@savagefiction), fez um perfil do autor traçando uma análise do Brasil no século XIX, que com toda complexidade de sua história.

Fonte: Publish News

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.