O presidente da OAB nacional, Felipe Santa Cruz, concedeu entrevista ao colunista Augusto Nunes no programa Páginas Amarelas da Veja, nesta terça-feira (2). Entre os temas abordados, ele defende o fim da revista dos advogados. “O juiz não é revistado, o procurador e o promotor não são revistados, os funcionários não são revistados, o vendedor de picolé não é revistado e o advogado e o cliente são. A regra tem que ser isonômica”, argumenta.

Santa Cruz fala sobre a necessidade de paridade entre defesa e acusação durante as audiências. “Isso garante ao cidadão a certeza de que ele está ali minimamente em condição de igualdade para exercer sua defesa”, afirma.  O presidente se posiciona contra a responsabilização da advocacia em relação a origem do pagamento de honorários. “Não pede para médico, para jornalista, como o advogado vai ter condições de fazer essa verificação”, questiona Santa Cruz. 

O posicionamento da Ordem sobre a recomendação de afastamento dos cargos públicos do ministro da Justiça e de promotores, envolvidos no vazamento de diálogos divulgados pelo site The Intercept Brasil, para que as investigações aconteçam sem qualquer suspeita, foi discutido durante a entrevista. Santa Cruz também comenta sobre o requerimento da OAB contra a suspensão do bloqueio das verbas para a educação.

Assista à íntegra do programa Páginas Amarelas:

Fonte: OAB

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.