Até 2016 era comum ver estratégias de SEO para Inbound Marketing com foco em palavras-chave de alto volume. De lá para cá, o Google mudou. E muito além do Google, o comportamento do usuário também mudou bastante.

Ah, mas, qual o problema em basear uma estratégia em keywords de alto volume e buscar o melhor ranking? A primeira posição realmente irá te trazer os melhores resultados, porém, você deve driblar algumas armadilhas.

Bom, vamos começar pela estratégia de palavras-chave.

Estratégia de Keywords

Não há como falar de SEO e não falar das famosas keywords ou palavras-chave. Definir e saber os melhores termos para o seu negócio é fundamental para atingir o seu público-alvo.

Pode ser bem tentador olhar apenas para esses termos, aqueles que chegam a “brilhar” no alto do pódio da SERP do Google.

Resistir a uma tática que valoriza somente head tails poderá evitar o que chamo de “platô de SEO”.

O platô de SEO 

Confira abaixo o que pode levar ao estado estacionário do seu tráfego orgânico ou as práticas que você deve evitar na sua estratégia de SEO:

  • Focar apenas em keywords de volume alto;
  • Focar em rankeamento como objetivo principal;
  • Criar de conteúdo sem propósito ou seja, sem responder ao seu público-alvo, dores e outros;
  • Escrever com com foco apenas em SEO, com títulos nada explicativos e visando somente o Google;
  • Criar um texto “lotado” de keywords apenas para rankeamento, ou seja, sem qualidade;
  • Calcular milimetricamente o tamanho do texto.

O Google nunca disse que atribuía rankings melhores a textos com x tamanho ou x quantidade de palavras, fica a dica.

Listei acima 6 fatores, porém há muitos outros. Estar nas primeiras posições com certeza é importante e para SEO, a primeira página é o que sustenta a sua estratégia.

“Ah, mas agora você está sendo incoerente”, você pode ter pensado. Bom, deixa eu me explicar. A diferença está em como encaramos o planejamento, veja abaixo o que eu chamo SEO baseado em boas práticas.

O outro lado do ranking

  • Foco no usuário: UX não é moda ou tendência, UX é fundamental. Ah, isso envolve mobile também;
  • Arquitetura e SEO On Page bem feito;
  • Qualidade e Qualidade: Conteúdo com propósito;
  • Estratégia de Keywords com head, middle e long tails em equilíbrio;
  • Mudança de abordagem de SEO: Busque pelo CTR mais alto, principalmente com as mudanças de SERP do Google;

Novamente, listei alguns dos fatores, dentre de tantos que vão se adaptando a cada nicho e site. Fica clara a diferença entre ter ranking como consequência ao invés de objetivo.

Se você pensa nos robôs irá construir algo sem perenidade e inconsistente, se você pensa nos humanos, criará algo sólido.

Estar na primeira posição continua sendo super importante e uma das principais métricas dentro de uma estratégia de SEO, porém, alcançar o topo da SERP, só será possível com um conteúdo de qualidade e bem estruturado. Foco no usuário, sempre!

Na YoastCon 2019, alguns dos grandes nomes do mundo do SEO deixaram isso bem claro.

Se você não consegue fazer o seu tráfego orgânico crescer ou se não quer cair no platô, atenção para algumas dicas dadas no SEO Mythbusting 101 do Google Webmasters.

As 3 dicas do Martin Splitt (Analista de Tendência Webmaster, Google) foram:

  • Bom conteúdo ou conteúdo com propósito;
  • Rich Snippets, titles explicativos e coerentes, descriptions com foco no usuário;
  • Otimização de performance: Sites mais rápidos, fáceis de navegar e de serem encontrados;

E aí, gostou das dicas, concorda com essa forma de encarar os rankings? Conta para gente nos comentários! E para saber com mais profundidade sobre SEO, confira nosso eBook grauito: O Guia do SEO. Lá tem muito mais conteúdo sobre o assunto. Aproveite!

Marcadores:

Fonte: Resultados Digitais

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.