Um novo estudo do Instituto de Internet da Universidade de Oxford, no Reino Unido, aponta que as chamadas fake news conseguem mais engajamento nas redes sociais que os conteúdos com informações verdadeiras.

A pesquisa mostra que as postagens que trazem informações falsas e conteúdos extremos têm mais interação dos usuários de redes sociais, principalmente Twitter e Facebook, que as notícias veiculadas pela mídia tradicional. O engajamento das fake news chega a ser até 4 vezes maior.

O estudo, que denomina esse conteúdo falso como “junk news”, ainda ressalta que a disseminação desses materiais enganosos tem preocupado cada vez mais as autoridades da União Europeia. Em geral, os conteúdos falsos analisados na Europa fomentam preconceitos e intolerância, principalmente em relação aos temas imigração e religião.

Vale ressaltar que a pesquisa foi mensurada justamente no período que antecede as eleições do Parlamento Europeu. O estudo analisou, aproximadamente, 580 mil postagens noticiosas em redes sociais, apresentadas em sete idiomas diferentes.

Fonte: B9

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.