O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou nesta terça-feira (21) que tem mantido conversas com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e que há “firmeza” no trabalho do Parlamento. Davi reafirmou seu compromisso em favor da democracia e do fortalecimento das instituições, numa “defesa intransigente” do Estado Democrático de Direito.

Ele falou em entrevista após duras críticas de vários senadores em Plenário à relação de Bolsonaro com o Congresso. Para o presidente do Senado, a situação não contamina a harmonia entre os Poderes, porque os “ataques mais duros” têm partido de “grupos que teoricamente são de apoiadores” do Planalto, mas constituem uma posição “isolada”.

— O Congresso está firme. Continuaremos debruçados sobre as nossas pautas e com a certeza de que sairemos mais fortes desse processo — disse Davi.

Sobre os atos em defesa do governo marcadas para o próximo domingo (26), Davi disse defender com “intransigência” a democracia, as instituições, e também o direito de manifestação de todos os brasileiros. Ele destacou que o Parlamento vê com “serenidade e tranquilidade” os acontecimentos.

Votação de MPs

Davi também lamentou a falta de um acordo na Câmara dos Deputados a respeito das medidas provisórias (MPs) que perderão a validade nos próximos dias. Ele garantiu que há entendimento entre os senadores para resolver os assuntos, mas salientou que o Senado depende de uma decisão na Câmara primeiro.

Entre as matérias pendentes estão a MP 870/2019, com o novo desenho administrativo dos ministérios; a MP 868/2018, que altera o marco regulatório do saneamento básico; e a MP 863/2018, que abre o setor aéreo para o capital estrangeiro.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.