A briga entre a Apple e o Spotify continua quente. Depois de apresentar uma queixa formal no começo de março, o streaming de música conseguiu se fazer ouvir perante a União Europeia, que deve nos próximos dias lançar uma comissão de investigação para verificar se as acusações de que a marca da maçã estaria mesmo praticando atos antitruste no mercado.

As acusações feitas pelo Spotify, no caso, envolvem um “imposto” que a Apple cobra de todo o dinheiro arrecadado pela empresa sueca em cima do pagamento de suas assinaturas premium pela App Store, que durante o primeiro ano do usuário chegam aos 30% do valor obtido pela marca e depois vai para “apenas” 15%.

“Se pagarmos esse imposto, isso nos forçaria a aumentar o preço do nosso Premium bem acima do preço da Apple Music” escreveu o CEO do Spotify Daniel Ek em uma publicação no blog oficial da empresa no mês passado sobre o caso, onde também acusou a Apple de bloquear o acesso do Spotify a aparelhos como a Siri, o HomePod e o Apple Watch para melhorar ao máximo a experiência do serviço nos devices, impedindo que o streaming pudesse competir de igual para igual com o Apple Music.

A Apple, enquanto isso, defende que a taxa é cobrado em decorrência de todos os serviços que a empresa oferece ao serviço de streaming. “O Spotify não seria o negócio que é hoje sem o ecossistema da App Store.” escreveu a marca numa resposta oficial sobre o caso; “A Apple conecta o Spotify com nossos usuários. Nós providenciamos a plataforma na qual usuários podem baixar e atualizar seus aplicativos. Nós compartilhamos ferramentas críticas de desenvolvimento de software para apoiar a construção do app do Spotify. E nós construímos um sistema de pagamento seguro que permite aos usuários fazer transações seguras pelo sistema interno do aplicativo. O Spotify está nos pedindo que seja mantido todos estes benefícios enquanto ele fica com 100% do lucro”.

Independente de quem esteja certo, a real é que a questão deve demorar um bom tempo para ser resolvida. Segundo o Financial Times, a equipe de investigação formada pela Comissão Europeia deve demorar anos até chegar um veredito final, mas caso a Apple seja declarada culpada de práticas antitruste por conta do “imposto” é provável que ela seja multada em até 10% de suas arrecadações globais – mas tudo isso pode ir pro vinagre também se a empresa decidir mudar suas práticas e acabar com a taxa.

Fonte: B9

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.