A “Operação Liberdade”, manifestação convocada por Juan Guaidó — líder da oposição e proclamado “presidente encarregado” da Venezuela pela Assembleia Nacional — para destituir o presidente Nicolás Maduro, deve ser vista com cautela, declarou o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) nesta terça-feira (30), em Plenário.

Defensor da democracia no país vizinho, o senador afirmou que a tomada do poder à força pode agravar a situação e provocar um conflito de proporções inimagináveis, gerando mais mortes entre os venezuelanos.

— Nós somos vizinhos estratégicos da Venezuela. O estado de Roraima tem mil quilômetros de fronteiras, ao norte e a noroeste, com a Venezuela e sempre tivemos uma relação pacífica, harmoniosa, com economias complementares. Então esse é o nosso desejo: espero que o governo brasileiro, a nossa diplomacia, se alinhe no sentido de lutar pela democracia naquele país, mas de uma forma pacífica, deixando que os problemas venezuelanos sejam resolvidos de forma harmônica entre eles — afirmou o senador Chico Rodrigues.

Guaidó é reconhecido presidente da Venezuela pelos governos de 60 países, incluindo os do Brasil, dos Estados Unidos e da União Europeia. Maduro, por sua vez, vinha mantendo o controle das forças armadas e tem apoio da Rússia e da China. Nos últimos anos, a crise política, social e econômica provocou milhões de venezuelanos a tentar nova vida em outros países.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.