A semana que passou foi mais curtinha, por causa do feriadão de Páscoa. Por isso, o post entrou mais cedo, o que significa que tivemos um dia a menos para coletar notícias incríveis sobre tecnologia e marketing digital.

Isso quer dizer que trouxemos menos novidades? Não. Quer dizer que a semana foi menos incrível? Também não. Afinal, uma semana que é marcada pela distribuição de ovos de chocolate por um coelho onipresente só pode ser sensacional.

Inclusive, espero que você esteja saboreando um delicioso chocolate enquanto lê este blogpost. Aproveite o momento com um ovo ou uma barra, o que couber no seu orçamento, porque você merece. Vamos às notícias!

Humanos estão retomando a internet dos robôs

Os humanos estão vencendo as máquinas. Ao menos é o que mostra o 2019 Bad Bot Report, da Distil Networks. Embora aponte que 37,9% de todo o tráfego na internet seja de bots, esse número é menor que o do ano passado. Portanto: parabéns, humanidade!

Uma pesquisa mostrou que quase 40% do tráfego da internet é gerado por robôs, mas a boa notícias é que esse número já foi bem maior

Para ser mais preciso, o tráfego humano subiu de 57,8% em 2017 para 62,1% no ano passado. Em 2014, primeiro ano que tem dados disponíveis na pesquisa, era de 40,9%. Pelo jeito, estamos recuperando espaço.

No entanto, nos 5 anos de pesquisa, o tráfego de “bad bots” ficou mais ou menos estável, oscilando entre 18 a 22%. Já o de “good bots” caiu bastante no período: era de 36,3% em 2014 e bateu em 17,5% em 2018.

Good bots x bad bots

Mas qual é a diferença entre bots bons e maus? Não, nada a ver com querer proteger ou eliminar John Connor. O exemplo mais comum dos robozinhos bons é o GoogleBot, que localiza o site do seu negócio e o coloca na página de resultados de busca.

Já os maus, de acordo com a Distil Networks, atuam em diversas frentes. Em alguns casos, a definição de “mau” usada pela empresa é bem ampla. Por exemplo: rastreadores de preços de concorrentes, que podem causar lentidão no seu site e prejudicar seu SEO.

Porém, há os vilões clássicos, como ladrões de dados, senhas e contas bancárias. Bots que copiam conteúdo automaticamente, compram ingressos em massa para cambistas e geram tráfego excessivo para derrubar sites. Por fim, há os criadores automáticos de perfis falsos.

Good news or bad news?

Como é véspera de feriadão, decidimos dar uma de Poliana e abrir o texto com uma mensagem positiva. Só que apesar dos humanos estarem recuperando terreno, vale a pena notar que quase 40% do tráfego da internet ainda é feito por bots – em sua maioria nocivos.

Embora o relatório não aponte, o site The Next Web acredita que o avanço dos humanos se deve à popularização de smartphones baratos, com planos de internet também mais em conta. O problema é que também aumenta o número de vítimas em potencial.

prison break

Vale muito a pena ler o relatório completo. Há informações, por exemplo, sobre os países que são a maior fonte de tráfego de bots (não, não é a Rússia ou a Ucrânia) e também os mais bloqueados (sim, são a Rússia e a Ucrânia). E quais são as nuvens mais populares entre os robozinhos, além dos browsers pelos quais eles se passam.

Nem tudo são cenas de dor e sofrimento, porém. Ao final do report, há indicações de ações que você pode tomar para proteger seu site, seu domínio e sua empresa!

Links relacionados:

Brasileiros dominam o Game of Thrones no Twitter

Que o Twitter é muito popular como segunda tela você já sabia. Com o celular na mão, o espectador comenta em tempo real seu programa preferido. A estreia da temporada final de Game of Thrones, no domingo, mostrou mais uma vez essa vocação do app.

De acordo com o Brainstorm 9, o Brasil foi o 2º país mais engajado, com 5 milhões de tuítes sobre a volta da série da HBO. Eu mesmo contribuí com alguns, inclusive defendendo a tese impopular de que “passou meia hora já não é mais spoiler”.

O pico de tuitadas, aliás, foi logo depois do encerramento do episódio – portanto quando ainda era crime dar spoiler. A Scup produziu um mega infográfico compilando alguns dos destaques produzidos pela massa tuiteira. O casal Jonerys, por exemplo, dividiu opiniões.

jonerys

Links relacionados:

Facebook é flagrado mesclando Stories e News Feed

O Facebook esteve praticamente todas as edições do nosso blogpost com o giro de notícias. Em geral, algum anúncio ou novidade no sentido de reverter a crise de imagem que já dura anos ou de buscar novas formas de reinventar o próprio negócio.

A feature queridinha de Mark Zuckerberg é o Stories, tanto no Instagram quanto no app azul. Os usuários estão fazendo movimentos no sentido de abandonar o News Feed e migrar para o formato mais rápido e com prazo de validade de 24h.

Mesmo sabendo disso, foi bem surpreendente a descoberta feita por uma especialista em engenharia reversa. Ela achou uma feature, escondida no código do app para Android, que mostra o News Feed em formato de Stories, arrastando para o lado. Olha só:

Após a divulgação, o Facebook disse ao site Tech Crunch que se trata de um protótipo de funcionamento em estágio bem inicial. Não haveria intenção nem mesmo de testá-lo publicamente tão cedo. Parece, porém, que a empresa vê mesmo nos Stories o futuro de sua rentabilidade com anúncios e engajamento de usuários.

Links relacionados:

Produtividade e eficiência para todo mundo!

A Semana da Produtividade de Marketing e Vendas está sendo um sucesso aqui na Resultados Digitais. Ela termina nesta quinta-feira, com o webinar “Gestão sem sufoco: como liderar equipes de alta performance e fazer mais com o seu tempo”.

Quase 6 mil pessoas se inscreveram gratuitamente para assistir às 5 transmissões ao vivo com especialistas da RD e do mercado. Se você perdeu, não se desespere: os vídeos ficam gravados e podem ser acessados a qualquer momento! Preencha os dados abaixo para assistir.

Fonte: Resultados Digitais

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.