Contando a história do escritor Monteiro Lobato, ativista na luta pela exploração do Petróleo no país, na década de 1930, o senador Vanderlan Cardoso (PP-GO) criticou em discurso nesta quarta-feira (17) os preços dos combustíveis no Brasil, considerados muitos altos pelo parlamentar. Segundo ele, durante muito tempo acreditava-se que, com a autossuficiência de petróleo, o país não teria as tarifas fixadas em dólar e, portanto, haveria queda nos preços.

Vanderlan defendeu a ideia de quebra no monopólio da produção do petróleo:

— Monteiro Lobato, há cerca de 100 anos, já sabia que o monopólio não era bom para o Brasil. Ele sabia que monopolizar deixaria os preços mais altos para o consumidor brasileiro e concentraria muito poder nas mãos do governo.

O senador também faz críticas à alta carga tributária. Ele sugere que sejam estipulados limites de até 30% dos tributos e taxas cobrados sobre os combustíveis.

— O governo tem que chamar os estados para conversar, para dialogar sobre a questão tributária, diminuir o impacto do ICMS que há nos estados, que baixa PIS e Cofins. E eu defendo que não ultrapasse 30%, que já é um assalto. No caso da gasolina, dependendo de alguns estados, chega a ser 53%. O consumidor não tem condições de pagar por essa conta.

O parlamentar elogiou a decisão do presidente Jair Bolsonaro de interferir no preço do diesel, para evitar uma nova paralisação dos caminhoneiros e prejuízos à economia. Na sua opinião, a população não pode pagar a conta dos desmandos ocorridos na Petrobras nos últimos anos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.