A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável debate nesta quarta-feira (17) os resultados da reavaliação toxicológica do glifosato realizado pela Anvisa. O debate foi solicitado pelo deputado Nilto Tatto (PT-SP), que explica que foi concluído recentemente o processo de reavaliação toxicológica do glifosato.

“Na ocasião, a Anvisa divulgou que o glifosato não se enquadra em critérios de proibição e recomendou a manutenção da permissão do uso e comercialização do produto e a adoção de medidas de mitigação de riscos”, afirmou.

Tatto argumentar que, entretanto, autoridades e órgãos equivalentes à Anvisa e outras instituições científicas de vários países, incluindo a Agência de Proteção Ambiental Americana e a Agência Internacional para a Pesquisa sobre o Câncer, da Organização Mundial de Saúde, chegaram a resultados opostos ao da agência brasileira, e concluíram, com base em inúmeras pesquisas científicas, que o glifosato provoca câncer e outros gravíssimos distúrbios, tanto às pessoas como a outras formas de vida

“Sem os devidos esclarecimentos, a já criticada decisão da Anvisa pela manutenção da liberação do glifosato irá ampliar ainda mais a incerteza e insegurança da opinião pública a respeito dos efeitos nocivos dessa substância”, conclui

Foram convidados, entre outros:
– o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Wiliam Dib;
– o pesquisador e consultor em Ciência e Tecnologia na Agropecuária, David Hathaway; e
– o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins.

O debate será realizado às 10 horas, no plenário 2.

O evento será interativo.

Fonte: Câmara dos Deputados

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.