Em pronunciamento no Plenário, nesta quarta-feira, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) mostrou-se indignado com a desigualdade social no país e garantiu que vai lutar para que todos os brasileiros tenham diretos iguais. O parlamentar afirmou que sempre denunciará o descaso do governo com a população mais pobres e atuará contra o preconceito, a discriminação, os privilégios, e à concentração da riqueza nas mãos de tão poucos. Para o senador, é mentira dizer que todos são iguais perante a lei, como estabelecido pela Constituição.

— No Brasil, uns são mais iguais que outros. No Brasil, se criminaliza a pobreza como se o pré-requisito para ser criminoso fosse ser pobre. Quanto aos crimes de maior prejuízo quem pratica? São políticos, são governos, são prefeitos. Porque, quando se tem um furto aqui fora, você tem uma vítima determinada. Agora, quando o secretário de saúde desvia a verba da saúde, ele está matando milhões de pessoas — afirmou.

Terceirizados

Contarato também referiu-se a práticas que considera discriminatórias com funcionários terceirizados, inclusive no Senado, e criticou a existência de elevadores exclusivos para os senadores.

— Eu me envergonho, quando eu entro dentro desses elevadores, com elevador exclusivo para senador. O que me faz melhor do que vocês se eu sou representante de vocês? O que me faz melhor do que qualquer pessoa que chega a esta Casa, que é intitulada Casa do Povo, que do povo não é nada? — afirmou.

Fabiano Contarato solidarizou-se com os servidores terceirizados que trabalham no Senado e defendeu a aprovação do PRS 35/2019, que define regras de remuneração de terceirizados do Senado. A proposta foi posteriormente aprovada pelo Plenário e vai a promulgação.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.