São três projetos para combater a corrupção, o crime organizado e os crimes violentos. Entre as medidas estão a prisão em segunda instância; e o endurecimento de penas em crimes mais graves ou com arma de fogo. Em entrevista ao programa Salão Nobre, da TV Senado, o senador Alessandro Vieira (PPS-SE) afirmou que as propostas são o primeiro passo, mas não vão acabar com a criminalidade. A entrevista vai ao ar às 20h desta quinta-feira (14) e será reprisado na sexta (15), às 8h e às 13h.

Um dos pontos mais questionados do pacote é o que trata da legítima defesa de policiais. Na visão do senador, que está licenciado do cargo de delegado da Polícia Civil de Sergipe, a polêmica é injustificada. O senador afirma que o uso da força por policiais já é coberto pela legislação atual, e sustenta que a urgência do país por mais segurança não pode justificar o autoritarismo ou a prática de execuções sumárias por parte das forças de segurança.


Alessandro Vieira também disse que está recolhendo assinaturas para tentar novamente instalar a CPI dos Tribunais Superiores. Na primeira tentativa, alguns senadores retiraram o apoio e o pedido acabou sendo arquivado. A intenção é investigar questões operacionais, com o objetivo de promover uma maior transparência das cortes superiores brasileiras.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.