Um veículo do Norte e outro do Nordeste recentemente apresentaram novidades de conteúdo. O Liberal, do Pará, apresentou sua novo conceito editorial. O Povo, do Ceará, renovou mandato de ombudsman e criou podcast

O Liberal e O Povo, jornais do Norte e do Nordeste, respectivamente, movimentam a seção ‘Pautas & Notas’

Com nova cara e novo conceito

Tendo mais de 72 anos de história, O Liberal não seguiu conservador em seus costumes. Desde o fim de 2018, o jornal — e sua versão online — chegam de forma moderna ao público consumidor de notícias. Baseada em Belém, a empresa de comunicação resolveu mudar o seu logotipo, que perdeu o então tradicional fundo azul. Também alterou a forma do conteúdo, com direito a reformulação gráfica, priorizando fotos, chamadas e infográficos. Nas alterações, o impresso passou conversar cada vez mais com os canais digitais da marca.

“Hoje, em função dos novos padrões de comportamento do leitor, levando-se em conta o advento da internet e das redes sociais, o jornal impresso passa a utilizar uma plataforma de integração multimídia. O novo projeto gráfico surge como instrumento para atrair pelo aspecto imagético, proporcionando prazer diante de um cenário agradável, de rápido acesso, portanto não cansativo, com textos mais curtos e concisos e imagens que falam por si”, comentou, à época das mudanças, o editor-chefe de O Liberal, Lázaro Moraes.

Daniela Nogueira é ombudsman de O Povo (Imagem: divulgação)

Novo mandato de ombudsman

A função de avaliar um veículo de comunicação a partir da perspectiva dos leitores. Essa é, sobretudo, a missão quem assume o cargo de ombudsman. Ou ombuds-girl. Isso porque um dos poucos jornais brasileiros que mantém o posto ativo é O Povo, do Ceará, que deixa uma jornalista mulher à frente de tal atividade. Daniela Nogueira é quem responde pelo trabalho, que foi renovado em janeiro, A profissional, que é ombudsman do jornal desde 2014, deu início ao seu terceiro mandato.

A ombudsman de O Povo fez questão de que a crítica ao jornal mudou devido à disseminação de fake news. “Ter de provar a credibilidade a todo instante foi tarefa constante. A proliferação das notícias falsas e a tentativa de minimizar os danos causados por elas foram um fenômeno que levaram o jornalismo a encontrar maneiras de fazer com que o público não aceitasse a credibilidade que tanto alega”, comentou Daniela Nogueira.

Jornal também tem áudio

Um veículo de comunicação nativo da mídia impressa que passa a investir em recursos sonoros. Isso aconteceu recentemente com o mesmo O Povo da ombudsman Daniela Nogueira. No último mês, a empresa de comunicação lançou seu mais novo projeto: o ‘Recorte‘. Trata-se de podcast que se propõe sempre a discutir o tema do dia. Com edições de segunda a sexta-feira, sempre às 18h, o programa tem de 10 a 15 minutos.

“É um bate-papo leve sobre o que foi destaque no dia”, explicou o jornalista Ítalo Coriolano, um dos apresentadores do programa. “A ideia é conversar sobre o que foi assunto durante manhã e tarde no Brasil e no mundo, levando em conta o que percebemos que teve maior audiência e envolvimento da população”, disse — explicando assim que, como O Liberal, O Povo tem ido além do impresso.

Fonte: Comunique-se

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.