Ministério também vai lançar, em breve, os editais de arrendamento de áreas no porto para movimentação de veículos e de papel e celulose.

Porto Paranagua PiloniO secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, realizou uma visita técnica ao Porto de Paranaguá (PR), nesta quinta-feira (07), em companhia do diretor-presidente dos Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, e do secretário estadual de Infraestrutura e Logística do Estado, Sandro Alex.

Durante a agenda, o grupo discutiu o processo de delegação de competências para o Porto. A Portaria nº 574 de 2018, do Ministério da Infraestrutura, trouxe a possibilidade de dar maior autonomia para a gestão local e descentralização de algumas ações para os portos do Brasil.

Para o secretário de Portos, a perspectiva da primeira delegação deve sair ainda no primeiro semestre de 2019 e o Porto de Paranaguá atende os requisitos. “O porto recebe o empreendedor e as oportunidades de negócio estão aqui. O setor tem essa característica, tem demanda e oportunidades de negócio, e isso deslancha uma série de empreendimentos”, pontuou Piloni.

De acordo com o representante do ministério, a retomada da gestão dos contratos de arrendamento do porto é importantíssima e está em linha com as melhores práticas da gestão portuária no mundo.

Para o diretor-presidente do Porto, a delegação vai permitir ao porto gerir o todo o planejamento das licitações, em coordenação com a União, mais agilidade, investimentos e menor custo logístico para Paranaguá.

“Neste ponto (descentralização) o Paraná saiu na frente. Fomos os primeiros a protocolar o pedido no Ministério e, com muito trabalho e gestão eficiente, vamos comprovar nosso alto nível técnico para atingir a meta dos indicadores de desempenho necessários para a delegação”, explicou Garcia.

ARRENDAMENTOS – Segundo o secretário de Portos, dentre os planos de investimentos, em breve, o governo federal deve lançar os editais de duas áreas de arrendamento no porto: uma destinada à movimentação de veículos e outra de papel e celulose.

“Visitar o porto é importante para conhecer melhor o potencial da estrutura física para os planejamentos e ações que temos mapeados para o porto para os próximos anos”, disse Piloni.

Paranaguá é o maior porto graneleiro da América Latina e o segundo maior porto do Brasil. Em 2018, foram movimentadas mais de 53 milhões de toneladas fortalecendo o agronegócio brasileiro.

Na visita, o secretário de Portos fez um sobrevoo pelas áreas do Canal de acesso, Emboguaçu, do Porto Público e na Ponta do Félix, em Antonina. Em seguida, realizou uma visita em um rebocador pelo canal do Porto.

Para Piloni, a indicação de Luiz Fernando Garcia para a presidência do Porto será importante para a modernização do setor, pois o executivo possui capacidade técnica e experiência de gestão reconhecida.

Fotos: Claudio Neves/ APPA

Assessoria Especial de Comunicação
Ministério da Infraestrutura

Fonte: Governo Federal

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.