Qual é o efeito das redes sociais na saúde mental das pessoas? Esta é uma pergunta que a agência de publicidade M&C Saatchi resolveu responder à partir de uma ideia muito simples: permitir que jovens alterassem suas próprias selfies do jeito que bem entendessem.

Esta é a premissa de “Visual Diet”, um projeto concebido pela chefe de conteúdo visual da empresa Mimi Gray em parceria com Marine Tanguy da MTArt Agency e o fotógrafo Rankin. Foram selecionados 15 jovens entre as idades de 15 e 17 anos para a produção, que fez com que Rankin fizesse o retrato dos garotos e garotas e depois permitia que esses retocassem as fotos até que elas ficassem – pelo menos em seus respectivos julgamentos – “apropriadas paras as redes sociais”.

E o resultado, como bem se imagina, é aterrorizante. Cada uma das 15 crianças – sejam eles os meninos ou as meninas – basicamente pinta um visual completamente distinto do seu, desde atos como afinar o maxilar até aumentar os olhos e a boca. Confira abaixo o vídeo com todas as fotos pré e pós-edição.

De acordo com o CCO da M&C Saatchi, Justin Tindall, o que levou a agência a criar o “Visual Diets” foi a falta de disciplina da disciplina de tomar cuidado com o que vemos e tomamos como ideal visual no dia-a-dia: “O que nós comemos afeta nosso corpo, então nós temos consciência do que a gente se alimenta. O que a gente afeta nossos cérebros, mas nós raramente temos cuidado com o que vemos. Está na hora de balancear nossas dietas visuais” afirma.

Com uma conta no Instagram, o “Visual Diet” ainda inclui o site http://www.visualdiet.co.uk/, onde as pessoas podem votar quais imagens tem um impacto positivo ou negativo nelas. Um pôster digital, cuja função é de por meio de inteligência artificial ler a reação de pedestres a diferentes imagens, também foi desenvolvido pela agência.

Fonte: B9

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.