Coordenador de vendas da NBCUniversal, Bernard Porto foi entrevistado pela Imprensa Mahon, canal parceiro do Portal Comunique-se. Na conversa, ele conta: a empresa está em busca de projeto de séries para investir até R$ 3 milhões. Assista abaixo  

O grupo NBCUniversal está procurando por projeto de série para investir até R$ 3 milhões. A ideia é licenciar o produto audiovisual por Brasil, América Latina e por todas as suas subsidiárias no mundo. Quem adianta a ação é o coordenador de vendas da empresa, Bernard Porto. O tema foi discutido durante entrevista concedida à Imprensa Mahon.

Anúncio

“Nosso modelo de negócios é trabalhar diretamente com os produtores, por meio dos artigos 3 e 3A, para coproduzir séries de TV – não trabalhamos com cinema. Uma vez produzido, licenciamos para os canais, do nosso grupo ou não. O core business da NBCUniversal no Brasil, para projetos nacionais, é a distribuição. Costumamos pedir direitos de distribuição para Brasil e América Latina. E a primeira opção mundo, caso o projeto tenha potencial pra viajar. E sempre para todas as plataformas”, disse o entrevistado.

Questionado pela apresentadora Krishna Mahon sobre o que exatamente eles estavam procurando, Bernard Porto detalhou. “Queremos volume, cauda longa. Volume sempre é bom para conseguir vender para outros canais e países. Trabalhamos com os fundos da Ancine há cinco anos. Já temos 16 projetos originais produzidos ou em produção, como ‘Glitter Model’, uma animação que licenciamos para a Disney. ‘Papaya Bull’, uma coprodução com a Universal, a Nickelodeon e a produtora Boutique. ‘Rotas do Ódio’, da Universal com a Panorâmica. E ‘Rio Heroes’, uma third party com a Fox e a Mixer. Temos tentando diversificar em diversas áreas, não estamos buscando nada específico, estamos abertos às oportunidades do mercado”, afirmou o coordenador da NBCUniversal.

Imprensa Mahon | Entrevista com Bernard Porto, da NBCUniversal:

Fonte: Comunique-se

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.