O estado de São Paulo deve fechar o ano com uma produção de 5,8 milhões de sacas de café, o que representa um aumento de 29,6% em relação ao ano passado, de acordo com as estimativas do Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. “A bebida resultante desta safra está sendo classificada como de alto grau de excelência”, disse o agrônomo Celso Luis Rodrigues Zegro, pesquisador do IEA.

Ele explicou que, normalmente, a cultura cafeeira é alternada entre uma safra de bom rendimento e outra de menos. Neste ano, já se previa melhor desenvolvimento do fruto e o resultado teve ainda a ajuda do clima favorável. “Não choveu durante a colheita e combinado isso com a florada uniforme, adubação e pulverização certa, a maturação dos frutos levou a um bom resultado”.

O pesquisador disse que desde o ano de 2000, uma das principais regiões produtoras, a de Franca, responsável por 44,7% do total do estado, vem retomando, gradativamente, as lavouras cafeeiras, que antes tinham sido substituídas por canaviais ou por áreas de pastagens entre outras culturas. Das 7,5 mil propriedades da região, 4 mil se dedicam ao café, abrangendo uma área plantada de 70 mil hectares. Em média, são produzidas, anualmente, 30 milhões de mudas e 4 milhões de pés têm sido renovado.

Em São Paulo destaca-se ainda a produção da região de São João da Boa Vista, o equivalente a 18,8% do total paulista. Nessa localidade, a média anual costuma ser estável pela característica das fazendas situadas em montanhas onde não são afetadas por mudanças climáticas.

Dados do IEA indicam que São Paulo é o segundo maior produtor do café tipo arábica, atrás de Minas Gerais. Como o Brasil fornece 25% do total da bebida consumida, os cafeicultores paulistas têm expressiva participação no volume exportado. De janeiro a outubro, as vendas externas atingiram US$ 433 milhões.

Segundo o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), as exportações de café verde, solúvel e torrado e moído de todo o país atingiram 3,74 milhões de sacas em outubro, volume recorde mensal e 29,1% acima de igual período em 2017. O término do último levantamento da safra deve ocorrer no próximo dia 8, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e a divulgação está prevista para o próximo dia 18.

A estimativa é de que a produção nacional alcance 59,9 milhões de sacas beneficiadas, com crescimento de 33,2%, dos quais 45,9 milhões de sacas do tipo Arábica e 13,9 milhões de sacas do tipo Conilon.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.