Brasília – Foi empossada na manhã desta terça-feira (26) no cargo de secretária-geral do Conselho Federal da OAB Luciana Nepomuceno. Conselheira por Minas Gerais, ela entra na diretoria no lugar de Felipe Sarmento, que assume a função de vice-presidente. A advogada é a segunda mulher na história da Ordem a ocupar o cargo. “Este é um momento ímpar, em que vivenciamos a transmutação da retórica em realidade”, afirmou a nova diretora.

Felipe Sarmento, que ocupava o cargo de secretário-geral da OAB, passa a exercer a função de vice-presidente, vago com a licença de Luís Cláudio Chaves. A troca é prevista no Regulamento Geral da OAB.

O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, afirmou que a posse de Luciana Nepomuceno honra muito a advocacia brasileira, reforçando a competência e o talento das mulheres. “É um ato simbólico para reforçar a campanha Mais Mulheres na OAB, encampada pela atual gestão. Espero que seja um instrumento de incentivo efetivo a todas as colegas para que se envolvam e participem das ações da OAB”, saudou.

Lamachia lembrou, ainda, de outros avanços recentes, como a indicação da primeira mulher para receber a Medalha Rui Barbosa, a conselheira Cléa Carpi da Rocha, e o número recorde de comissões presididas por advogadas, assim como a escolha da conselheira federal Sandra Krieger como representante institucional da Ordem no Conselho Nacional do Ministério Público.

Em seu discurso de posse, Luciana Nepomuceno disse que atuará em nome de todas as advogadas brasileiras, que já representam quase 51% dos profissionais. “Este é um momento ímpar, em que vivenciamos a transmutação da retórica em realidade. Defendo a participação da mulher na política e o faço por acreditar de que somos capazes de ocupar os espaços de poder por nossos méritos e por termos ao nosso lado homens que acreditam em nossas capacidades e nos incentivam”, afirmou. “Estamos juntas por uma realidade mais democrática e igualitária. O que não nos falta é coragem.”

Colegas do Conselho Pleno e outros dirigentes prestaram homenagem à nova secretária-geral. A presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros, Rita Cortez, afirmou que as mulheres não querem ser paradigmas, mas referências de reconhecimento de trabalho profissional e ocupação de espaço político. Para Sandra Krieger, cada advogada se sente no lugar de uma vitoriosa, “pois não há competição, mas discussão de nossa participação na política”. A presidente da OAB-AL, Fernanda Marinela, pediu uma reflexão sobre o papel da mulher na Ordem em um ano eleitoral: “É preciso ter a construção de espaços políticos nas Seccionais”. Ela também elogiou o trabalho de Felipe Sarmento, de seu Estado, que assume a vice-presidência da OAB, “um grande líder e defensor dos direitos dos advogados”.

Eduarda Mourão, presidente da Comissão Nacional da Mulher Advogada, disse ser um grande orgulho presenciar a concretização de metas e sonhos de quem luta pelos direitos da mulher advogada. A detentora da Medalha Rui Barbosa, Cléa Carpi da Rocha, elogiou a escolha da diretoria para uma “caminha conjunta com visão de cidadania e igualdade”. Colega de bancada de Luciana, Vinicius Gontijo disse que a secretária é uma das pessoas “mais éticas, uma das advogadas mais aguerridas e de uma competência ímpar”. “A indicação de Luciana Nepomuceno serve de luz para os que vierem a ocupar a diretoria da OAB no futuro. Não cabe mais a possibilidade de não ter mulheres nela. Não podemos abdicar disso”, finalizou.

Fonte: OAB

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.