O senador Lasier Martins (PSD-RS) criticou nesta quarta-feira (25) a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) pela decisão de retirar do juiz federal Sérgio Moro, que julga os processos relacionados à Operação Lava Jato, os trechos das delações dos ex-executivos da construtora Odebrecht que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Lasier criticou os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski por encamparem a tese da defesa, segundo a qual não haveria conexão entre o dinheiro gasto pela Odebrecht no Instituto Lula e no sítio de Atibaia (SP) e os contratos superfaturados na Petrobras.

Para o senador, ao enviar para a Justiça Federal de São Paulo as delações de Marcelo Odebrecht, de seu pai Emílio Odebrecht e de ex-executivos da empreiteira, o STF retira as provas dos processos com objetivo de impedir que a justiça se cumpra.

— Este é o Supremo Tribunal Federal que nós temos. Retiraram delações premiadas do processo do Instituto Lula e do sítio de Atibaia, quando ninguém tem dúvida de que qualquer desses processos teve como pano de fundo, como razão maior, as propinas que vieram da Petrobras. Ninguém tem dúvida disso. Aí se fazem os maiores malabarismos, esgrimem-se os mais surpreendentes argumentos para tentar diminuir a força daquele que vinha julgando e sendo aplaudido pelo Brasil decente, pelo Brasil que quer ética, que quer transparência. E alguns jornais dizem hoje que ‘o Supremo derrota Sergio Moro’. Eu acho que está errada a manchete. ‘Supremo derrota o Brasil’ — afirmou em Plenário.

Lasier Martins atribuiu a decisão do Supremo às indicações políticas dos ministros, metodologia que, na sua opinião, deve mudar.

— É por essas razões que eu tenho uma proposta, promessa que eu fiz durante a campanha eleitoral, de que era preciso mudar a sistemática da indicação dos ministros do Supremo. Ninguém mais aguenta indicações políticas, porque eles tomam decisões políticas e não decisões jurídicas, está aí o resultado — afirmou Lasier, defendendo a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 35/2015, que muda a forma de escolha dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.