A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) afirmou nesta terça-feira (20) que o assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSOL do Rio de Janeiro, foi uma tentativa de silenciar todos que apoiam os direitos humanos e lutam contra o racismo, a opressão de classe e a política de “guerra às drogas”, entre outras causas, além da defesa das minorias.

Fátima Bezerra defendeu a proposta de desmilitarização das polícias, que a seu ver é voltada à proteção dos próprios policiais, e acusou os grandes meios de comunicação de repercutir a morte de Marielle e de seu motorista, Anderson Gomes, de modo a angariar apoio à intervenção militar no Rio de Janeiro.

— Foi alguém que ousou questionar a política de segurança pública e lutava todo dia pelo empoderamento das mulheres pobres e negras, fazendo de sua vida um exemplo de luta e de esperança.

Ao avaliar que milhões de brasileiros fazem ecoar a voz de Marielle, a senadora cobrou investigação rigorosa do crime e punição a todos que propagam calúnias sobre a vereadora assassinada.

Rio São Francisco

Fátima Bezerra também manifestou apoio à conclusão das obras complementares da transposição do Rio São Francisco, mas ponderou que é necessário o acompanhamento do povo para assegurar a continuidade dos trabalhos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.