A produção industrial cresceu em 12 dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2017. O resultado, divulgado nesta quinta-feira (8), é o melhor desde 2010 e acompanha a primeira alta anual do setor, que ficou em 2,5%, a maior desde 2013.  

O desempenho de 2017 é bem diferente do de 2016, quando 14 locais ficaram no negativo e somente um registrou aumento na atividade, com queda de 6,4% no índice nacional. No ano passado, houve queda apenas na Bahia (-1,7%), na região Nordeste (-0,5%) e em Pernambuco (-0,9%). Em 2010, melhor ano até então, todos os 14 locais pesquisados haviam registrado alta. 

Segundo André Macedo, gerente da pesquisa, o aumento na fabricação de veículos automotivos contribuiu para a melhora do setor. “Essa atividade cresceu em todos os locais em que é investigada. É o principal destaque do Brasil no ano e também regionalmente”, diz. O crescimento também foi influenciado pela fabricação de bens intermediários, como minérios de ferro, petróleo, celulose, siderurgia e derivados da extração da soja; bens de capital voltados para o setor de transportes, construção e agrícola; eletrodomésticos da linha marrom; e de bens de consumo semi e não duráveis, como calçados, produtos têxteis e vestuário.

Fonte: Governo Federal

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.