O senador Humberto Costa (PT-PE) voltou a criticar o governo federal, classificando como sua “derrota mais expressiva” a suspensão da votação da reforma da Previdência. Segundo o parlamentar, a interrupção da análise do projeto não resultou da intervenção federal no Rio de Janeiro, mas da insuficiência de votos para aprovação da matéria.

Humberto assinalou que a reforma não vai acontecer antes das eleições de 2018. E complementou que o fato desmitifica a ideia de que presidente Michel Temer é reformista. Para o senador, Temer reconheceu sua derrota na Previdência e, por isso, passou a agir “de forma populista e irresponsável” na área da segurança pública.

O parlamentar classificou o envio de tropas militares ao Rio de Janeiro “uma ação temerária, amadora, não planejada e extremamente perigosa”.

— O que está claro é o objetivo da espetacularização. É a teatralidade dessas ações, com as quais a mídia poderá se fartar nas suas reportagens, afirmou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.