O senador José Medeiros (Pode-MT) criticou nesta terça-feira (6) a prática de queima de bens apreendidos pelo Ibama durante a fiscalização ambiental. Em sua opinião, o cidadão tem direito a ampla defesa e, além disso, os bens poderiam ser doados, não destruídos.

– Eu não vejo operação queimando, por crime ambiental, bens na Avenida Paulista, na orla de Copacabana. Mas é muito fácil chegar no pobre que está lá no interior de Mato Grosso, no meio da floresta, tacar a mão nele e queimar tudo – disse.

José Medeiros disse ainda que chegou a pedir para o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, a demissão da presidente do Ibama, Suely Araújo, principalmente pela burocracia da autarquia, que impede o avanço de obras.

O senador citou como exemplo as obras de restauração da BR-242, que estão pendentes desde 2011devido a questões burocráticas.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Senado Federal

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.