O repórter John Sudworth, da BBC, fez um teste para verificar a eficácia do sistema de vigilância do governo chinês. O resultado mostrou que a polícia local leva, aproximadamente, apenas 7 minutos para localizar e apreender um rosto suspeito. Isso graças a sua rede de câmeras CCTV aliada à tecnologia de reconhecimento facial.

O jornalista teve seu perfil reconhecido por uma das mais de 170 milhões de câmeras espalhadas pelo país e logo a polícia já estava atrás dele, ou melhor, bem no mesmo lugar que ele.

https://platform.twitter.com/widgets.js

A China investiu fortemente nos últimos anos em um sistema de segurança que utiliza câmeras com reconhecimento facial. O objetivo do governo é adicionar mais 400 milhões de câmeras até 2020, além de desenvolver um sistema de precaução de crimes bem parecido com o que vimos na história futurista de “Minority Reporter”.

 

Funcionários chineses garantem que as câmeras e seus softwares podem vincular rostos a cartões de identificação, carros, amigos, familiares, local de trabalho, entre outros, além de estimar idade, etnia e gênero.

Tais sistemas também são usados ​​em organizações privadas para monitorar trabalhadores e processos em fábricas.

Fonte: B9

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Central da Pauta.